Sim, nós podemos I

Jaime Xavier
Mestre em Administração de Negócios pela COPPE - RJ. Curador do 1o Festival de Gastronomia

Publicação: 26/08/2017 03:00

Utilizo a expressão consagrada pelo presidente Barak Obama (Yes, we can...), como demonstração da capacidade que todos temos de superar desafios, e que culminou com a eleição do primeiro negro como presidente dos Estados Unidos.

No nosso caso no entanto, uso a frase, como chamada a responsabilidade, de todos os pernambucanos, em um desafio que ainda não nos foi lançado, ou se o foi, sem a ênfase e força, com as quais deveria ter sido.

Trata-se de valorizarmos uma vertente da nossa cultura que, representa motivo de orgulho e exposição de países e povos e, complementarmente a isso, constitui-se em expressiva fonte de receita oriunda de exportações e turismo. França, Itália, Portugal, Japão, Espanha e, mais próximo de nós, o Perú, descobriram ou passaram a explorar mais adequadamente a “Cultura Gastronômica” dos seus países e/ou cidades. Aqui mesmo entre nós, estados como Minas Gerais e Pará, assumiram uma posição forte e bastante proveitosa neste sentido.

O que me chama a atenção portanto, como pernambucano e amante do comer e beber bem que sou, é que apesar de perceber que entre nós próprios pernambucanos, estas riquezas gastronômicas serem bem difundidas e consumidas,  não tenhamos ainda despertado adequadamente para a sua divulgação, tornando-as parte do nosso cenário cultural como já acontece com a música, o artesanato, as artes plásticas em geral, a literatura etc.

Um Chef, seja ele profissional ou amador, é também um artista!

E todos sabemos que temos em nosso meio, uma grande quantidade de talentos dedicados a esta atividade que, a meu ver, deveriam ser melhor reconhecidos.

Da mesma forma que o pintor, escultor, artesão, escritor, poeta etc, ele pesquisa e cria, com amor e enorme dedicação e orgulho as suas receitas e os maravilhosos pratos que degustamos, sem medir todo o trabalho e às vezes mesmo sacrifício, exigido para que nos ofereça esses momentos de prazer gustativo.

O desafio então é que, todos que amamos nossa terra e, por que não dizer nos orgulhamos tanto e com toda a razão dos nossos feitos históricos e das nossas tradições, tornemos também as nossas frutas, os nossos queijos, os nossos doces, os nossos bolos, os nossos frutos do mar e carnes, a nossa forma de prepará-los e os profissionais que os preparam, em um verdadeiro patrimônio do nosso povo, da nossa cultura e das nossas tradições.

Este é um caminho das delícias, e de sensações agradáveis, talvez apenas um pouco maculado, na hora de pagar pelo que consumimos, mas que ainda assim pode ser olhado com olhos mais tolerantes, se nos apercebermos de todos os custos envolvidos no processo.

O mais importante portanto, é prestigiarmos e divulgarmos a nossa Gastronomia e dar a ela o destaque e a divulgação necessários a que, junto às outras artes, se torne mais um motivo de orgulho para Pernambuco e para os pernambucanos.

Isso nós somos capazes de fazer. Basta colocarmos nossos esforços a favor deste proposito, e termos como parceiros os veículos de comunicação e os organismos de promoção do turismo e divulgação do nosso estado, lembrando-nos sempre o poder da frase do Obama pois, não há duvida de que:

“Sim, nós podemos!”

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.