Não dá para entender!

Ary Avellar Diniz
Diretor do Colégio Boa Viagem e da Faculdade Pernambucana de Saúde

Publicação: 13/07/2017 03:00

Se for para escolher, das duas uma: ou há um cometimento exagerado de ações corruptas e maldosas no país, ou tudo não passa de imaginação, de fatos intangíveis na minha percepção. Continuo com a primeira alternativa.

Ultimamente, os brasileiros pouco se têm beneficiado com o conhecimento de mestres inteligentes e iluminados da estirpe de Rui Barbosa, Gilberto Freyre e Machado de Assis, que tanto enriqueceram a cultura do povo brasileiro. A expressiva maioria tem preferido o celular atrelado à internet, acreditando nas fofocas divulgadas travestidas de sabedoria.

Na política, fazem-nos falta as atitudes decisórias e positivas de um Getulio Vargas, um Agamenon Magalhães, Juscelino Kubitschek, Castelo Branco… Verdadeiros líderes, acreditados pelos seus seguidores representados devido ao seguro e tranquilo encaminhamento dos destinos da nação brasileira. Vê-se que, pelo contrário, há décadas se espalhou pelo país certo número de maus brasileiros que tenta amiúde enganar o povo e, com isso, vertem pelo sumidouro milhões e milhões de reais! Ou serão bilhões?

Isso, infelizmente, não dá para entender!

Não dá para entender os Batistas tentarem derrubar um governo federal quando, segundo recente pesquisa do Datafolha, 81% da população se mostraram favoráveis à sua prisão em virtude das graves faltas praticadas. Cuidado, irmãos Batistas: mais seriedade há nas decisões da justiça penal dos Estados Unidos!

Senhor presidente da República: o doutor Rodrigo Janot, procurador-geral da República, acusa-o de corrupção passiva, organização criminosa e obstrução da justiça nacional. Todos os brasileiros apelam para os seus sentimentos: caso haja verdade acusatória nas palavras do procurador-geral, jogue a toalha, deixe o poder… Não queira conduzir o Brasil à situação semelhante à da Síria e da Venezuela, ambos os países governados por gananciosos que têm infligido nostálgicos sofrimentos a seus concidadãos.

Mais vale a voz da consciência do que o julgamento dos homens, muitas vezes sujeito ao erro ou às imperfeições.

Se, politicamente, deixou de existir clima para a governança do país (somente 7% o aceitam como governante, segundo a última pesquisa), passe o bastão para outro dignitário, desde que tal medida seja tomada consoante dispositivo legal inserido na Constituição Federal.

Outro senhor que não dá para entender: FHC, filho de general e neto de marechal, considerado aquele que iniciou o enfraquecimento operacional das Forças Armadas, em função de medidas escabrosas, tomadas em seu governo, que visaram escassear as verbas destinadas à aquisição de materiais e equipamentos necessários à atualização e formação dos militares, aviltando, inclusive, o soldo das tropas.

É bom lembrar, sr. ex-presidente da República: a formação dos militares incorporados promove benefícios à nação, e esses profissionais, uma vez devolvidos à sociedade, apresentam comportamentos e atitudes que influem na produtividade do país. Além do mais, os bons brasileiros consideram as Forças Armadas a melhor e a mais confiável instituição nacional!

Já há políticos tecendo comentários a respeito de caixa 3! Assim é demais, e não dá é para acreditar!…

É estarrecedor e não dá para entender as últimas decisões de conceder liberdade aos prisioneiros que cumpriram apenas 10% do tempo de prisão!

O Cabral embolsou uma dinheirama. Não dá para entender um governante prejudicar tanto um estado da Federação com assaltos incalculáveis aos cofres públicos. A cidade do Rio, outrora alegre e maravilhosa, tem-se tornado triste e melancólica.

O espaço não permite outros comentários…

E, para finalizar: em Pernambuco, sou torcedor do Náutico desde o hexacampeonato conquistado. Não dá para entender sua posição humilhante na lanterna do Campeonato Brasileiro.

Não dá mesmo para entender!

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.