Comentários bem diferentes

Roque de Brito Alves
Membro da Academia Pernambucana de Letras

Publicação: 09/05/2017 03:00

1 – Cientificamente, existem várias espécies de fobias (medo sem razão ou motivo que domina o ser humano e que são neuroses) porém até agora nunca foi dito ou escrito por nenhum psicólogo ou psiquiatra que existe “fobia a dinheiro” ...  Também, temos várias manifestações de alergia porém até hoje não se descobriu “alergia a dinheiro”.

Particularmente como espécie até muito curiosa existe até uma fobia ao trabalho ... que é denominada “panobia”, tem gente que fica “doente” se for trabalhar ... tem gente que nunca deu um dia de serviço a ninguém, lembrando, aqui, o poema de Ascenso Ferreira que dizia haver tempo para tudo, tempo para dormir, tempo para comer, tempo para vadiar porém “tempo para trabalhar pernas para o ar que ninguém é de ferro” ...

2 – É quase impossível uma luta eficiente contra o terrorismo quando a ação criminosa é praticada pelo denominado “lobo solitário” (como nos recentes atentados na Europa),  por uma só pessoa pois se normalmente na vida todo mundo procura de qualquer maneira viver ou sobreviver o terrorista solitário quer morrer,  quer ser mártir como prêmio a receber. Assim sendo, medidas repressivas e mesmo preventivas de qualquer natureza a tal respeito são impotentes.

3 – Atualmente, as mulheres protestam com razão sobre a sua inferioridade numérica como representantes nos poderes legislativos federais, estaduais e municipais porém entendemos que se de acordo com as estatísticas oficiais o eleitorado feminino é maior que o masculino se a mulher votasse em  mulher – o que o ditado popular nega – naturalmente seria a maioria na vida política nacional. Perante a lamentável realidade brasileira atual ainda é muito válida a análise de Ruy Barbosa no século passado no sentido de que “o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto”.

4 – Diariamente as televisões exibem as narrações dos delatores da empresa Odebrecht sobre as “propinas” para os políticos, com a maior naturalidade do mundo, como se fosse um negócio comum como outro qualquer, atingindo políticos de vários partidos o que faz a opinião pública reafirmar que “os políticos são farinha do mesmo saco” ... É lamentável que a saúde e a educação continuem vergonha nacional pois muitas das verbas destinadas foram  desviadas, é uma verdadeira insensibilidade moral e social.  E não se tem, infelizmente, nenhuma perspectiva de que a mentalidade política nacional venha a melhorar, a tomar outro rumo a curto, médio ou longo prazo.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.