Brasil: um país do futuro?

Marx Beltrão
Ministro do Turismo, deputado licenciado pelo PMDB-AL

Publicação: 20/04/2017 03:00

O Brasil cansou de ser o país do futuro. Não adianta termos potencial se não conseguimos traduzi-los em benefícios reais para a população, em emprego e renda. Apesar de todos os nossos atrativos, o Brasil recebe menos de 0,6% dos turistas do mundo e fatura apenas 0,4% do valor global.

O turismo reúne excelentes condições para ajudar o Brasil a enfrentar a crise. Esta certeza é fundamentada em fatos. Enquanto a economia mundial cresceu apenas 2,4% em 2016, o setor avançou quase o dobro (4%). Graças ao turismo, a Grécia e a Espanha evitaram o colapso completo.

Desde que assumi o Ministério do Turismo, conversei com empresários, presidentes de entidades representativas de classe, gestores públicos, especialistas e lideranças mundiais do setor. Tive acesso a uma gama imensa de estudos e relatórios que indicam o caminho.

Elaboramos o Brasil + Turismo, um pacote de medidas em defesa do setor. Na primeira fase, ele vai intensificar a promoção internacional e permitir a abertura completa das empresas de transporte aéreo ao capital estrangeiro para aumentar a conectividade no país.

Ainda somos um país fechado. Num ranking de 136 nações, estamos na 96ª posição no item abertura internacional. Para atacar este gargalo, vamos implantar o visto eletrônico a países estratégicos. Até o fim do ano, turistas dos EUA, Canadá, Japão e Austrália conseguirão a autorização de entrada, pela internet, em até 48 horas.

Estudo realizado pela Organização Mundial do Turismo e pelo Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC) concluiu que políticas de facilitação de vistos proporcionaram um aumento de até 25% no fluxo turístico. Na Copa do Mundo e na Olimpíada, quando o Brasil realizou duas experiências nesse sentido, registramos um faturamento recorde. Estimamos que a facilitação de vistos pode injetar até R$ 1,4 bilhão na economia nacional em dois anos.

Outra vantagem comparativa que passa a ser mais bem aproveitada com o pacote Brasil Turismo é o nosso litoral, como as lindas praias de Pernambuco. Apesar de termos uma orla com 7,5 mil quilômetros, há uma série de restrições ao desenvolvimento de atividades turísticas nessas áreas. O MTur e o Ministério do Planejamento formalizaram uma parceria que prevê a cessão de áreas turísticas e a criação ou regularização de empreendimentos privados nesses locais.

Para melhorar a experiência do turista nos destinos nacionais, vamos trabalhar ainda na qualificação profissional. Por último, mas não menos importante, estruturamos cinco medidas de gestão: a modernização da Lei Geral do Turismo; a atualização do Mapa do Turismo Brasileiro; a fiscalização do transporte turístico; a simplificação dos impostos para os Parques Temáticos e o direcionamento de recursos para os órgãos estaduais de turismo.

As iniciativas vêm consertar uma miopia histórica que o governo brasileiro teve em relação ao turismo. Um importante passo para fazermos o futuro chegar ao Brasil.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.