Ne me quittes pas

Luiz Felipe Delgado
Advogado

Publicação: 13/04/2017 03:00

Talvez a frase mais humana de Jesus Cristo tenha sido esta: “Pai, por que me abandonaste?” Como entendê-la sabendo ser ele verdadeiramente homem e verdadeiramente Deus? Enquanto homem Jesus teve tudo menos o pecado. Chorou, se indignou, soube que ia ser traído por um amigo... Decepcionou-se conosco várias vezes, contudo viu esperança no gênero humano! Na última hora, no último minuto só quis a presença do Pai para cumprir Sua missão. Até Jesus quis afastar de si a dor da morte, mas pediu que “...seja feita a vontade do Pai”. Conclui-se que obedeceu ao Pai do início de sua vida até o fim. Porém, a dor da morte, a saudade dos que ficam e/ou o sofrimento que iria ter fizeram Jesus desejar que o Pai afastasse aquilo Dele...

Mais de dois mil anos depois observamos a mesma aversão humana em deixar de viver. Com a exclusão dos suicidas, é incrível como se ama viver! A imensa maioria tem uma rotina de trabalho exaustiva, pouco lazer, muitos conflitos, familiares e profissionais, no entanto, adoram a vida. Não necessariamente a vida que levam, mas apenas viver. Respirar não é significativamente prazeroso, mas é o que se busca. Dentro de um horizonte tão pequeno só denota a insignificância dos homens. E se Jesus tivesse mostrado aos discípulos o paraíso? Local tão majestoso e lindo que o simples ato de respirar será infinitamente maior que o maior dos prazeres humanos? Deslumbraria tanto os apóstolos que seria difícil fazê-los continuar a labuta... Com apenas três apóstolos, os mais próximos, no momento sublime da “transfiguração” escutou Jesus de um deles o pleito de fazerem três cabanas no alto do morro... Imagine se tivessem visto e sentido o paraíso! Linda é a resposta de Cristo, para descerem e nada contarem aos demais até que Ele tivesse partido... Não veio Jesus escolher alguns para dar a estes felicidade terrena eterna! Jamais! Ao contrário, mostrou a todos que essa vida é uma quimera, nada se leva, tesouros viram pó...  

Tão difícil é a prática ensinada pelo Cristo, concomitantemente é tão fácil observar que a Lei dEle é leve, é a lei do amor! Quando não respondemos um ato violento com violência, uma agressão verbal com outra, já estamos seguindo os ensinamentos dEle. Não é fácil, mas quem disse que deveria ser? Ele que só transmitiu amor, compaixão e carinho não viu a felicidade na Terra. Quem somos nós para colocarmos esta felicidade como a desejada? Como objetivo único de vida?

O objetivo do Homem só deve ser um. Praticar e anunciar o bem. O bem coletivo deve prevalecer sobre o bem individual. Ter compaixão com o outro, colocar-se no lugar do inimigo... Parece pouco humano? Está muito distante da nossa prática diária? Tenha fé e persista. Lembre que há um único Deus que sem razão alguma amou e continua amando todos e cada um individualmente. Criou o paraíso e espera por cada um de nós. Quer apenas que sigamos os ensinamentos de Jesus Cristo.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.