EDITORIAL » Há oferta de empregos para nível técnico

Publicação: 30/03/2017 03:00

Em termos de emprego, a situação está menos difícil para quem tem formação universitária ou para quem tem curso técnico? A resposta exata a essa pergunta exigiria uma cuidadosa análise de dados, mas uma informação do noticiário de ontem merece destaque pelo menos como reflexão. Diz que, apesar do alto índice de desemprego no país, existem empresas que estão procurando trabalhadores e não acham. Não qualquer trabalhador, e sim aqueles de nível técnico. A tendência se mantém há dois anos.

Os mais procurados são técnicos em enfermagem, auxiliar assistente de vendas, técnico em segurança do trabalho e auxiliar de contabilidade, segundo informa gerente de desenvolvimento do Senac nacional, Roland Zottele. Diz ele que o mercado sente falta de profissionais capacitados nessas áreas, as quais sempre “terão uma alta demanda”, independentemente da situação.

Outro exemplo é o dos desenvolvedores de aplicativos para celulares, ocupação de nível técnico que, além de muito procurada, tem salários altos — média de R$ 5 mil, equivalente ao de um profissional de nível universitário, na mesma área. Há uma explicação para isso, afirma Márcia Almström, diretora da Manpowergroup: a formação de nível superior sempre foi algo cobiçado pela sociedade em geral, e nos últimos anos ela tornou-se possível para fatias maiores da população. O fenômeno gerou uma contrapartida — a evasão dos cursos técnicos, o que resultou na falta de profissionais com este perfil.

Óbvio que o cenário merece ser estudado de forma mais aprofundada, em um universo amplo. Mas no momento em que cresce o desemprego e algumas ocupações profissionais devem ser extintas pelo avanço da tecnologia, os cursos técnicos parecem ser uma das alternativas disponíveis para quem busca inserir-se ou reinserir-se no mercado de trabalho. Há vagas nos centros de formação desse nível, em virtude da evasão verificada nos últimos anos, conforme análise da executiva Márcia Almström. Estes são principalmente de formato presencial - o aluno vai até a escola para aprender. Os cursos técnicos, no entanto, também podem ser feitos via online, modelo que permite atingir um número muito maior de pessoas. No geral, trata-se de uma alternativa merecedora da atenção dos que pensam em políticas públicas para o mercado de trabalho.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.