Pedro Jorge: uma vida pela justiça

Pedro Rubens
Reitor da Unicap

Publicação: 29/03/2017 03:00

O documentário intitulado “Pedro Jorge, uma vida pela justiça”, foi lançado numa cerimônia marcada pela emoção. Nesta segunda-feira, no emblemático Cinema São Luiz, a Procuradoria Regional da República e a Universidade Católica de Pernambuco promoveram uma verdadeira aula magna. O ato teve um valor inestimável, tão simbólico quão real, que arrebatou nossos sentimentos mais profundos no bojo de uma experiência de reconciliação de nossa história, abrindo um novo horizonte de outro futuro possível... Pedro Jorge perdeu a vida, a família sofreu – e sofre! –, os amigos permanecem solidários, não poucos ficaram indignados, outros militaram até que o sol da justiça brilhasse, depois de uma noite escura.

O presente documentário, portanto, não só resgata a justiça de um fato passado, mas “passa a limpo” a nossa história, faz a memória de uma profecia: apesar de dramático, o assassinato do procurador da República Pedro Jorge de Melo e Silva, bem como o desenrolar do processo, ressuscitaram em nós a possibilidade da justa denúncia da corrupção com o dinheiro público, a necessidade de autonomia das instituições democráticas e o triunfo da justiça...

Experiência tão mais importante porque vivemos, atualmente, em nosso país, uma série de mazelas e, sobretudo porque fomos golpeados em nossa dignidade ética, fragilizando nosso tecido social, acentuando ainda mais o complexo de vira-lata, dividindo as opiniões de forma pouco sensata, desacreditando valores fundamentais. Nós precisamos ver documentários como este para resgatar nossa própria credibilidade no Brasil...

A Unicap abraçou esse projeto desde o início e não podia perder a oportunidade de junto ao MPF preparar essa aula magna de ética, coragem e determinação testemunhada por Pedro Jorge: que as pessoas que assistirem ao filme possam espelhar-se na tela do cinema ou no brilho emocionado da lágrima que brotar no olho próprio ou dos outros.

A Católica de Pernambuco nasceu no coração da Igreja e tem a marca do humanismo cristão, por isso se identifica e quer promover essa maneira de Pedro Jorge testemunhar a coragem da fé a partir de uma profissão, dentro de uma situação concreta, sem medo de arriscar e perder a sua própria vida, como Jesus Cristo, tantos seguidores e/ou homens e mulheres de boa vontade ao longo da história. A fé sem obras é morta, assim como um cristão sem coragem é um contra-testemunho.

Enfim, agradeço às equipes das assessorias de comunicação da Católica e do MPF pela realização desse documentário. Não houve nenhum apoio financeiro, seja público ou privado, para a sua produção. Portanto, tem o único mérito de nossos recursos humanos. E esse enorme e belo trabalho tem nomes bem concretos: Ana Cláudia Dolores, Cláudia Holder, Daniel França, Henrique Silva, Luca Pacheco, Maria Eduarda Barbosa e Nildo Ferreira.

Enfim, há coisas que não tem preço, assim como há pessoas que não morrem... Pedro Jorge vive!

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.