Encartado no Diario, CENAS revoluciona a literatura pernambucana

Raimundo Carrero *

Publicação: 06/03/2017 03:00

No processo de reformulação das mídias e divulgação do produto cultural com a implantação revolucionária da Internet no século 21, estabeleceu-se que a literatura teria um espaço menor, insignificante ou inexistente, tudo sob a alegação de que as letras provocavam pouco ou nenhum interesse naquilo que se denominou de “Cultura de Massa”. Em consequência, os profetas exagerados decidiram que, na maioria dos casos, a literatura perderia os seus suplementos porque dispunham de um espaço excessivo para atender a um público diminuto.

Pergunta-se: para que gastar tanto e ocupar um espaço tão precioso com o livro se ninguém lê? Se temos Reginaldo Rossi por que precisamos de Guimarães Rosa, Gabriel Garcia Márquez ou Dostoievski? E, ainda mais, se temos sertanejos, por que vamos ler Vida e Morte Severina, de João Cabral de Melo Neto? Para que Chico Buarque, se temos pandeiros e balangandãs?

Preocupado com essa devassa cultural, pensamos na criação do Centro Cultural Raimundo Carrero, que funciona na Avenida João de Barros, 1468, no Espinheiro, para debates, conferências, encontros e até festivais literários e, em consequência, no lançamento do suplemento literário CENAS, que procura revelar e divulgar poemas, contos, novelas, e artigos de consagrados e de jovens escritores, injustamente silenciados por uma mídia inconsequente. Não se pode calar a produção dos mais jovens. Trata-se de crime social gravíssimo.

Para dar qualidade e importância literária ao suplemente literário CENAS reunimos no Conselho Editorial os escritores Luzilá Gonçalves Ferreira e Lourival Holanda, consagrados criadores e mestres de gerações brasileiras. O suplemento circulou a primeira vez – número zero - em livrarias, bares e restaurantes . O número um apareceu no sábado de carnaval, encartado neste Diario de Pernambuco que, assim, promove uma revolução literária, chegando a uma grande faixa de leitores.

O encarte no Diario engrandece a literatura do Estado e restaura um momento importante e decisivo da nossa cultura, mantendo a tradição de um grande jornal histórico e, mesmo assim, renovador.

Este jornal encartará o CENAS uma vez por mês, em geral na terceira semana. O suplemento, porém, é impresso nas oficinas das Edições Bagaço, que procuram sempre dignificar, ainda mais, sua vocação de divulgadora da nossa literatura.

* Escritor e jornalista

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.