Vão faltar Sérgio Moro e Janot nesse país

Albino Queiroz
Advogado e leiloeiro oficial

Publicação: 01/02/2017 03:00

As pessoas ainda se admiram quando aparece nos noticiários nomes de políticos e empresários metidos em corrupção nesse país. Nos meus anos de vida já ouvi e vi de tudo. Desde pequenino que ouvi falar em ' um por fora ' para você conseguir alguma coisa em repartições públicas, sejam federais, estaduais ou municipais. O Brasil talvez seja um dos únicos países do mundo em que existe a figura do despachante, que nada mais é do que a ponte entre o corrupto e o corruptor. Pobre do empresário que não aceitar as cantadas acintosas dos gestores públicos. E aquele que não aceitar vai ficar no limbo, pois da noite para o dia um aproveitador monta uma empresa e aceita as propostas do gestor inescrupuloso. Agora mesmo com toda ênfase da ' Lava a Jato ' você acha que acabou-se a roubalheira? Ledo engano, continua viva e bem viva. A gastança pública é um absurdo. A união, os estados e os municípios estão falidos, e os culpados são os gestores que o povo elege e reelege. Então não venham reclamar. Estão lá com o voto do povo, na sua maioria mal esclarecidos. Os governantes gastam o dinheiro do povo brasileiro com gosto e sem pena. Vejam o que acontece no nosso estado e na nossa prefeitura só com milhares de carros locados com um custo mensal de 40 mil reais por mês, ou seja a cada mês o governo paga um carro para o locador. Coisa de pai para filho. Todos sabemos que um carro locado custa por dia 60 ou 80 reais, o que daria no final do mês 1.800 ou 2.400 reais. Isso se participassem dessas licitações empresas tradicionais do ramo de locação veicular e não empresa criadas para enriquecerem as custas dessa farra com o dinheiro público. Isso é só um exemplo. Se formos pesquisar isso acontece em todas as licitações que são feitas no estado e no município. Todo mundo sabe disso. Todo mundo comenta nos restaurantes e nos bares da cidade, e ninguém faz nada. Não existe oposição no estado e no município, não existe tribunal de contas, não existe ministério público, ou seja faltam Janots e Moros nesse estado e nesse país. Não existe a menor possibilidade desse país se tornar um país sério com essa classe politica que ai está. Teria de ser feita uma faxina geral e as pessoas de bem, as pessoas honestas, as pessoas capazes, não querem meter a mão nessa cumbuca. Agora no inicio do ano todos nós recebemos um presente indesejável do nosso prefeito, que foi o abusivo carnê do IPTU com aumentos de até 700%, isso mesmo, setecentos por cento, comparado com anos anteriores. Não tem prefeito nessa cidade que faça uma atualização séria desse imposto considerando o zoneamento da cidade, baseiam-se em dados antigos e existem contribuintes em apartamentos milionários na Avenida Boa Viagem que pagam um IPTU menor do que uma simples casa num bairro popular da cidade. É mais fácil baixar um decreto, com a benevolência dos vereadores que lá estão para defender o povo , e aumentar o imposto para pagar os rombos que esse mau gestor fez e faz nos cofres do município. Nunca se gastou tanto em propaganda nas rádios e nas televisões, em horários nobres. Uma mentira repetida várias vezes pode se tornar verdade. Isso é o que os marqueteiros do governador e do prefeito ensinam. Deveria ser proibida essa propaganda por parte dos gestores públicos, pois eles lá estão exatamente para fazerem o que propagam. Não estão fazendo nenhum favor, e em alguns casos pagam mais com essa desnecessária propaganda, que nada mais é do que o culto a própria imagem, do que com a obra divulgada. Agora vem o Carnaval e tudo fica no esquecimento. O povo sofre mais dão a ele frevo, maracatu e cachaça para esquecerem. Fica aqui o meu repudio, o meu protesto, e a minha descrença de que algum dia esse país se torne uma nação que possamos nos orgulhar.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.