O uso da imagem em redes sociais

Fernando Farias *
fernando.farias@fernandofarias.com.br

Publicação: 17/12/2016 03:00

No mundo contemporâneo, ambientado no cenário midiático e da estética, tecnológico, digital e globalizado, a chamada “sociedade da imagem” dispondo de dispositivos eletrônicos, ao alcance da mão, se vê impulsionada a estar conectada com todas as latitudes do planeta. Exibindo suas imagens, numa vivência de entretenimento e publicidade, que se entrelaçam com o consumo e a informação, numa exposição de grande sedução e efeitos libidinais. Envolvendo, pessoas, marcas e produtos, num marketing de alto valor agregado. Na atualidade, conforme as estatísticas, mais da metade da população brasileira está conectada nas redes sociais. E o nosso país é o primeiro no mundo em usar a internet, por mais tempo, individualmente. Entretanto, é de se observar, um grande despreparo pela maioria dos internautas, em usar o novo, em busca de ganhar visibilidade, para fortalecer a sua imagem pessoal. As redes sociais que potencializam o ego, estimulando o exibicionismo, possibilitando uma enorme visibilidade, devem ser usadas com muito zelo e cautela. Muita exposição exige uma imagem bem posicionada e valorizada. Pois, todos nós estamos sendo observados e não sabemos o impacto da imagem postada e seus efeitos, bem como o tempo que ela vai ficar circulando em rede, que é pública, nos colocando numa vitrine. Abrindo um universo de possibilidades, sendo inúmeros os riscos e perigos para as pessoas incautas. Que não devem se influenciar pelo excesso de exposição das celebridades, tais como, modelos, artistas de novela e jogadores de futebol, entre outros. Que ostentam, muitas vezes, a sua beleza, luxo e o glamour de suas vidas. Para os que estão fora desse universo, não vale a pena ser a chamada “celebridade instantânea”, pelo volume de curtidas, comentários e compartilhamentos em progressão geométrica, viralizando. Devemos sempre projetar o nosso brilho próprio, num processo de comunicação de grande autenticidade, que exige o autoconhecimento. Imagem é coisa séria! O seu uso é de nossa inteira responsabilidade. E a dos outros, também. Constituindo-se um dos mais importantes instrumentos do pensamento humano. Da maior relevância para influenciar e direcionar comportamentos, ideias, conceitos, tendências, entendimentos e muitas expectativas. A forma como nos expomos, nos conectamos ou lidamos com questões simples do cotidiano, diz muito de nós. As imagens que estão sendo exibidas nas redes sociais revelam o que elas são e, também, o que os outros pensam delas. O impacto do uso da imagem tem um peso muito grande sobre o público em geral, envolvendo as sensações causadas, e a criação de um juízo de valor, dando margem à criatividade sem limites. É próprio de ser humano exibir-se. Afinal, é o maior espetáculo da terra! De fato, estamos diante de uma nova realidade. Uma mudança de cultura e progresso social. Mas, os critérios que nos fazem aplaudir ou admirar as pessoas, continuam os mesmos. E nenhuma imagem pessoal é sustentável, se não for embasada nos valores da ética, moral e da autenticidade.

* Palestrante e articulista

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.