EDITORIAL » A inclusão da terceira idade

Publicação: 25/10/2016 03:00

Uns celebram a vida após o enfrentamento de uma doença. Outros porque conquistaram um emprego novo. Há quem comemore a existência pelo anúncio da chegada de um filho ou de um neto. Ter a chance de alcançar a terceira idade também pode ser uma boa razão para festa. Prova disso é o encontro entre 720 pessoas com mais de 60 anos sediado em Pernambuco, no município de Cabo de Santo Agostinho, que teve início ontem e segue até quinta-feira. São esperados idosos de todo o país, mas a maior caravana vem do Nordeste, com 180 participantes somente do Rio Grande do Norte.

Segundo a organização do evento, algumas pessoas juntam dinheiro o ano inteiro para participar do Encontro Inaraí Nordeste da Terceira Idade, que está em sua nona edição e pela segunda vez em Pernambuco, no Hotel Vila Galé Eco Resort. A programação inclui shows, inclusive de Lia de Itamaracá - uma bela representação de uma artista regional da terceira idade - dança, massagem, lançamento de livros, oficinas e até momentos ecumênicos. Tudo com o objetivo de saudar a vida com vontade e de viver sem ter vergonha de ser feliz. Parece simples, mas nem sempre é assim.

Ser idoso no Brasil ainda é sinônimo de exclusão, abandono, desrespeito, solidão e exploração, seja na vida familiar, no mercado de trabalho ou no atendimento de saúde, no transporte público e no direito ao lazer. A população de velhos no Brasil cresce gradativamente. Em 2020, o país deverá ter 32 milhões de pessoas com mais de 60 anos. Avanços na saúde garantem mais longevidade para toda a população.

Encontros desse porte permitem maiores chances de bem estar entre os idosos, pois envolvem interesses, vivências e conversas comuns a todos. Ao contrário do que muita gente pensa, idoso não gosta de ser tratado de forma infantilizada, como se nada entendesse. Respeito sim, essa é a principal meta a ser buscada pelas pessoas mais velhas nas relações. A icapacidade para as atividades preferidas na terceira idade não é nem pode ser regra, somente exceção. Precisamos estar todos atentos para incluir nossos idosos na celebração diária da vida. Com muito respeito, acima de tudo.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.