Será que não se envergonham?

Publicado em: 17/08/2018 03:00 Atualizado em: 17/08/2018 08:27

Entre estarrecidos e indignados, assistimos mais uma vez nos últimos dias o espetáculo de insensibilidade e desdém, protagonizado por nossos “senhores da lei”, que pretendem aumentar os seus salários em nada menos que 16,38% elevando-os ao patamar de R$ 39 mil quando, além da massa de 13 milhões de desempregados e outro tanto de subempregados com que nos debatemos, os que ainda têm emprego, sobrevivem com um salário médio nacional, inferior aos  R$ 2 mil.

É mais uma demonstração de que os poderosos “supremos” da nação fazem questão de desconhecer, quando não mesmo menosprezar a realidade que vive a população brasileira, isolados que estão da convivência com o povo, nos seus palácios em Brasilia.

Será que estes seres, que parecem saídos da série Guerra nas Estrelas, desde o linguajar que utilizam, até as roupas que vestem (já usam capas pretas, só faltam as máscaras, para assumirem o personagem “Dart Vader”), não se apercebem de que devem respeito, ao povo e à Nação?

Será que estes senhores não se envergonham, quando do alto do seu pedestal, ampliam ainda mais seus ganhos e benefícios, achando pouco o que já têm?

Será que, em sua manifesta irresponsabilidade, não percebem a repercussão que tal comportamento irá produzir, junto a todos os demais párias que, vivendo à custa dos escorchantes impostos que nos surrupiam, certamente vão se aproveitar da oportunidade, para buscar benesses semelhantes da mesma maneira imoral e injustificada,  nos entregando como retorno os péssimos serviços que nos prestam? Políticos com destaque entre eles?

Na edição deste fim de semana do DP, se informa que de toda massa salarial brasileira, cerca de 32% são destinados ao pagamento de funcionários públicos, sejam eles federais, estaduais ou municipais. Brasilia é a “expoente da vergonha e da imoralidade” desta situação. Lá, nada menos que 66%, são abocanhados pela monstruosa e inoperante estrutura que se denomina “Estado Brasileiro”, além de outra serie de ganhos vindos de toda a sorte de esquemas, mazelas e benefícios, já auferidos por esses privilegiados.

Em todo o Brasil, enquanto o salario médio na iniciativa privada situa-se em torno dos R$ 2 mil, no poder público atinge praticamente o dobro disso, situando-se em média, acima dos R$ 4 mil. E Brasilia dá, mais uma vez sua contribuição nefasta para a manutenção desta distorção, recebendo lá os funcionários públicos, uma vez e meia (150%) mais, que os trabalhadores das empresas privadas.

Infelizmente, mais uma vez abusam da nossa impotência e incapacidade em impedirmos tal desmando, rindo como hienas ao se locupletarem dos restos da carniça mal cheirosa, em que o nosso país vem sendo transformado ao longo dos últimos anos.

Infelizmente veremos mais uma vez passar frente aos nossos olhos, o espetáculo dantesco dos chamados “servidores” submetendo os que deveriam ser “servidos”, lhes impondo outra vez a sua absoluta e condenável vontade, e destes exigindo ainda mais sacrifícios para satisfazerem a sua ganancia e a sua vaidade.

Vergonha, senhores! Isto é o que pedem todos os brasileiros...

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.