11 de agosto: dia do advogado e do estudante

Publicado em: 11/08/2018 03:00 Atualizado em: 15/08/2018 10:41

O 11 de agosto é sempre rememorado como a data de criação dos cursos jurídicos no Brasil, fato histórico ocorrido à época do Império Brasileiro, quando Dom Pedro I autorizou a criação das duas primeiras faculdades do país: a Faculdade de Direito de Olinda, em Pernambuco, e a do Largo de São Francisco, em São Paulo, pois, até então, para estudar em uma universidade era preciso viajar para a Europa, onde muitos intelectuais se formavam, em Portugal ou na França, motivo pelo qual, a data é comemorada como o Dia do Advogado, no Brasil. O que pouco se fala, todavia, é que a mesma  é, também, consagrada ao estudante, celebração que ocorre desde 1927, cem anos após a instituição dos primeiros cursos de ciências jurídicas e sociais.

Coube ao advogado Celso Grand Ley a lembrança do Dia do Estudante, ideia que surgiu quando participava das festividades em homenagem ao advogado, aprovada pelos seus pares, tendo como fundamento dar maior abrangência à data, pois “mais  que símbolo do início dos cursos jurídicos no Brasil, as faculdades de Direito eram, também,  ícones da história da educação brasileira”. Tanto assim que, após sua criação, novos cursos superiores surgiram e proliferaram no Brasil.

Peço vênia aos colegas advogados José Paulo Cavalcanti Filho, Maurício Rands, Sílvio Neves Batista, Roque de Brito Alves e José Luiz Delgado e aos desembargadores Eduardo Sertório e Adalberto de Oliveira Melo para, através deste modesto artigo, homenagear, na oportunidade em que se comemora o Dia do Advogado, o ex-procurador de Justiça, hoje aposentado, Darley de Lima Ferreira, autor do livro Caruaru e sua Faculdade de Direito e de tantas obras literárias, entre as quais se destacam Reflexões filosóficas, Amor, ciúme e crime, Sendas da vida, Petit histoire de la Academie Caruaruense de Letres Juridiques,  Meritocracia – Esforço e Realizações e Templários de 1988.

Justifica-se esta manifestação de reconhecimento aos méritos de Darley Ferreira, pois, graças aos seus ideais, fundamos, em Caruaru, a Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil, Seção de Pernambuco, a Academia Caruaruense de Letras Jurídicas e o Instituto dos Advogados do Brasil, Em Recife, quando criada a Fundação Instituto de Administração Municipal – FIAM –, da qual foi seu primeiro diretor administrativo, e, ao assumir superintendência do Sistema Penitenciário, fiz parte de seu quadro funcional. Hoje em dia, somos 1º e 2º Secretários da Associação Caruaruense de Ensino Superior e Técnico – ASCES-UNITA, tendo ele, há alguns anos, ocupado a direção e vice-direção da Faculdade de Direito de Caruaru e eu a primeira Secretaria. Ambos, também, professores. Enquanto ele ministrava a cadeira de Direito Penal, aos alunos do 2º e 3º anos, eu lecionava Direito Judiciário Penal, no 5º ano, do curso de Direito. Finalmente, peço escusas por haver omitido as missões oficiais que Darley cumpriu no exterior.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.