Em cartaz o Cine Teatro Apolo Palmares

Publicado em: 02/08/2018 03:00 Atualizado em: 02/08/2018 06:18

- Vai ter filme, sim!

Essa frase li como título num mural de uma rede social na internet escrita pelo presidente da Fundação Casa da Cultura Hermilo Borba Filho de Palmares, Mata Sul do estado, Edson Silva, ao divulgar o próximo filme a ser exibido no Cinema da cidade: História da Eternidade, dirigida por Camilo Cavalcante.

Após várias décadas sem exibição de filmes à população, finalmente o Cine Teatro Apolo reabriu suas portas para o público admirador da sétima arte. Fundado em 6 de dezembro 1914 e adquirido pela prefeitura em 1983, foi tombado como Patrimônio Histórico de Pernambuco em 1994. Revitalizado e devolvido à população palmarense em 9 de junho de 2018, data na qual é comemorada a emancipação política do município.

No outro dia, domingo, em parceria com o Festival Varilux de Cinema Francês foram exibidos dois filmes em duas sessões: 17h e 19h30. O primeiro foi Promessa ao amanhecer, dirigido por Eric Barbier. Drama com 2h11 de exibição, adaptação de livro de Romain Gary, cuja história relata a infância dele na Polônia até a adolescência em Nice, seus anos de estudante em Paris ao período de seu treinamento como piloto durante a II Guerra Mundial. Romain Gary (Pierre Niney) atribui a vontade de viver intensamente à sua mãe Nina (Charlot Gainsbuorg). Classificação 12 anos. O outro, uma comédia: O Poder de Diane, do diretor Fabien Gorgeart (1h27min), ambos com entrada gratuita.

Como nos velhos tempos, a emoção visível em cada rosto de jovem ou adulto, criança ou adolescente que sai do cinema resenhando o que acabou de assistir, como fazíamos nos tempos de O Carteiro e o Poeta, Forrest Gump, Titanic, A Rosa Púrpura do Cairo, campeões de bilheteria - só para citar algumas das últimas exibições no Cine Teatro Apolo.       

Após esse resgate cinematográfico, com a exibição dos filmes Custódia, O Amante Duplo, Comboio de Açúcar e Sal,  A História da Eternidade, A Luneta do Tempo, Liga da Justiça e O Touro Ferdinando, aguardamos também exposições das artes cênicas. Peças teatrais que encantavam seus espectadores: Rota da Liberdade, Solte o Boi na Rua, O Baú da Inspiração Perdida, O defunto, O circo de seu Bolacha, - as apresentadas mais recentes: O livreiro, Salada Mista, A fuzarca, uma brincadeira de rua, Senhora de Engenho entre a Cruz e a Torá e A Mandrágora.

Só não tem carro de som como antigamente, anunciando o próximo filme ou atração teatral no Cine Teatro Apolo, mas temos as mídias virtuais nos informando a cada visualização: “Hoje tem espetáculo? tem sim senhor”!

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.