Festival Nacional de Frevo

Publicado em: 14/07/2018 03:00 Atualizado em: 14/07/2018 16:23

Patrimônio de Pernambuco e da humanidade, o frevo é um gênero musical que fala muito do povo que somos e de nossa gênese. E para que possa falar cada vez mais alto, ficou em cartaz na cidade, desde o último mês de março, promovido pela Prefeitura do Recife, o Festival Nacional do Frevo, que estica no calendário cultural do Recife a vigência desta música nascida e criada na capital pernambucana, descendente da polca, do dobrado, da marcha e do jazz.

Nesta sexta-feira (13), houve o encerramento, em grande estilo, da programação do Festival, que teve 274 inscritos em quatro categorias (Frevo de Bloco, Frevo de Rua, Frevo Canção e Frevo Livre Instrumental – Autoral) e revelou uma heterogênea, mas fiel amostra da produção de frevo pernambucana atual, com renomados compositores, como o maestro Duda, no páreo com talentos ainda desconhecidos, a maioria jovens músicos, com muito a contribuir para a cultura pernambucana.

Grande celebração à cultura pernambucana e a um de seus maiores símbolos, a final do Festival Nacional do Frevo ocorreu no Teatro de Santa Isabel, a partir das 19h, num evento gratuito e aberto ao público, sob a batuta do consagrado maestro Edson Rodrigues. Para participar, bastou retirar o ingresso a partir das 18h.

A quem não pôde comparecer, restou um consolo: o evento teve transmissão em tempo real no perfil da Prefeitura do Recife no Facebook. Além de torcer, o público pôde participar da seleção dos vencedores, votando no site do concurso: http://festivalnacionaldofrevo.recife.pe.gov.br.

Para assegurar que o gênero seja ouvido, transforme e seja transformado por novas gerações de compositores daqui ou de qualquer outra parte do mundo, os vencedores tiveram palco, visibilidade e material de trabalho garantidos. Entre os prêmios distribuídos, apresentações remuneradas no Festival de Inverno de Garanhuns 2018 e no Carnaval do Recife 2019, além de gravações audiovisuais das músicas defendidas. Tudo isso para que possamos amplificar nossa cultura e confirmar o frevo como tradição mundo afora e futuro adentro.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.