Por que investir em calçadas?

Publicado em: 30/06/2018 03:00 Atualizado em: 02/07/2018 08:45

Nas duas últimas décadas observa-se no Recife um crescimento acelerado na quantidade de veículos que ocupam as ruas, o que transforma a cidade em um dos tantos centros urbanos do mundo que precisam de uma atenção especial ao problema da Mobilidade Urbana.

O desenvolvimento econômico de Pernambuco, que superou a média nacional nos últimos anos, trouxe relevante incremento na renda da população e favoreceu a aquisição de veículos, que hoje se amontoam nas ruas de todo o Brasil, inclusive do Recife.

Tal constatação impulsionou a atual gestão da Prefeitura do Recife a estabelecer como prioridade a questão da mobilidade, mas não do ponto de vista dos veículos, mas das pessoas. Percebe-se claramente uma preocupação crescente com o transporte público, sendo as Faixas Azuis - faixas exclusivas de ônibus - uma marca da atual gestão.

Pesquisas recentes apontam que na capital pernambucana mais de 60% da população se desloca para o trabalho, escola ou áreas lazer através de ônibus, bicicleta ou a pé. E é provável que a desastrosa política de preços dos combustíveis promovida pelo Governo Federal faça crescer ainda mais esse número e aí teremos muito mais gente usando o transporte coletivo e, por consequência, as calçadas da cidade.

Diante disso, torna-se fundamental e urgente cuidar das calçadas do Recife, especialmente os grandes corredores de transporte público – áreas de grande concentração de pedestres.

Nesse contexto, a Prefeitura do Recife, por meio da URB, está realizando o maior investimento público na requalificação das calçadas da cidade, promovendo melhorias significativas para favorecer o caminhar e assim contribuir para a melhoria da condição de locomoção dos que delas fazem uso, ou seja, a maioria da população. Desde o início dessa gestão, já foram requalificados mais de 100 quilômetros de passeios públicos, entre eles de vias importantes como Agamenon Magalhães, Barão de Souza Leão, entre outras.

Um investimento de R$ 105 milhões deve ser concluído até 2020, abrangendo 134 km de calçadas e 56.300 m2 de largos, o que deixará a cidade melhor em futuro próximo, para o bem dos que mais precisam, neste tempo de imensas dificuldades vividas pela população e pelos municípios brasileiros.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.