De direitos e de deveres...

Publicado em: 28/06/2018 03:00 Atualizado em: 28/06/2018 09:46

É comum, escutarmos longas declarações a respeito dos direitos que se acredita possuir, e do desejo de vê-los atendidos.

Bem menos comum, é ouvirmos colocações a respeito de deveres e obrigações que decorrem do exercício desses direitos, e atitudes que demonstrem a consciência que deveria haver de que, a um sempre corresponde outro...

Reclamação não falta, já comprometimento...

Reclamamos do trânsito, mas fechamos cruzamentos e estacionamos sobre a calçada e/ou em locais proibidos


Reclamamos da fila nos bancos, mas levamos contas de parentes e amigos para pagar, provocando atrasos nos procedimentos dos caixas

Reclamamos da sujeira, entupimento e mau cheiro nas ruas e canais, mas jogamos lixo nas ruas e nos canais e despejamos esgoto em rios e lagos

Reclamamos da educação, mas nos eximimos da responsabilidade de darmos aos nossos filhos as noções de respeito, atenção e bom comportamento, em relação aos professores e a escola.

Reclamamos do transporte, mas depredamos ônibus, trens e estações, além de bloquearmos estradas e ruas

Reclamamos dos serviços de saúde, mas não nos cuidamos adequadamente, e sequer atendemos aos chamamentos para nos prevenirmos das doenças (veja-se o caso atual da vacina contra gripe, em que mais da metade da população habilitada a recebê-la, até hoje não compareceu aos postos de saúde e, pior, também não levou seus filhos)

Reclamamos dos políticos, como se eles tivessem chegado aonde estão por sua própria vontade, e que não tenhamos sido nós mesmos, que os elegemos com os nossos próprios VOTOS.

Neste caso específico, em breve, estaremos tendo mais uma vez a oportunidade de, através do exercício do direito inalienável do VOTO, corrigirmos os erros que temos cometido e assumirmos nossa responsabilidade na busca de um futuro melhor para o nosso país e para o nosso povo.

O VOTO é um dos mais importantes direitos de um cidadão, mas a ele corresponde um dever de ainda maior relevância, ao nos impor a condição de responsáveis por tudo o que dele venha a se originar.

Através dele, somos livres para decidir o que desejamos como futuro para o nosso país, para nós mesmos e para nossos filhos, responsabilidade da qual não podemos abrir mão.

Infelizmente, como sabemos, são muitos, e sem distinção de partidos ou ideologias, os políticos que protagonizam os escabrosos episódios ocorridos nos últimos anos, que nos desmoralizam como país e nos envergonham como cidadãos.

Cabe a nós, exercendo nosso direito através do VOTO, o dever de rejeitarmos as mentiras, a vergonha e o fracasso a que continuaremos seguramente condenados, caso não haja de nossa parte, uma atitude mais responsável em relação ao futuro.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.