Polêmica Irã adverte aliados de Washington para risco de revoltas em seus países

Por: Estado de Minas

Publicado em: 03/03/2019 10:20 Atualizado em:

Os aliados dos Estados Unidos no Oriente Médio podem enfrentar revoltas de seus "cidadãos humilhados" se continuarem a depender de Washington, advertiu uma autoridade iraniana, citada neste domingo pela agência oficial Irna.

O presidente americano Donald "Trump e seus vassalos ridicularizam e humilham dia e noite a Arábia Saudita e os Emirados Árabes Unidos, dizendo: 'vocês não são nada sem nós e não resistem a um único dia sem o apoio dos EUA'", alertou o almirante Ali Shamkhani, secretário do Conselho Supremo de Segurança Nacional do Irã. Em outubro, Trump disse que o rei Salman da Arábia Saudita, de 83 anos, não aguentaria "duas semanas" sem o apoio militar dos EUA, declarações ignoradas por Ryad. "Se os aliados dos Estados Unidos na região continuarem a sua dependência dos inimigos políticos do Islã, terão de enfrentar uma revolta dos cidadãos humilhados", acrescentou Shamkhani, de acordo com a IRNA.

As relações entre o Irã e seus vizinhos do Golfo se deterioraram nos últimos anos. As tensões se acentuaram ainda mais em meados de fevereiro, quando Teerã acusou a Arábia Saudita, seu principal rival no Oriente Médio, e os Emirados Árabes Unidos de cumplicidade em um atentado que matou 27 membros do exército de elite iraniano. A Guarda Revolucionária iraniana criticou "os governos traiçoeiras da Arábia Saudita e dos Emirados Árabes Unidos" e questionou seu "apoio" a "conspirações" orquestradas pelos "israelenses e americanos" contra o Irã. O ataque que visou um ônibus em 13 de fevereiro da Guarda Revolucionária na província de Sistan-Baluchistão (sudeste), foi reivindicado pelo grupo jihadista Jaich al-Adel (Exército de Justiça), com sede em Paquistão.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.