protesto Jornalistas são detidos durante protestos contra a censura na Argélia

Por: AFP - Agence France-Presse

Publicado em: 28/02/2019 10:10 Atualizado em: 28/02/2019 10:23

A Argélia vive há quase uma semana um grande movimento de protestos contra a perspectiva de um quinto mandato do presidente Abdelaziz Bouteflika, no poder desde 1999. Foto: Ryad Kramdi / AFP
A Argélia vive há quase uma semana um grande movimento de protestos contra a perspectiva de um quinto mandato do presidente Abdelaziz Bouteflika, no poder desde 1999. Foto: Ryad Kramdi / AFP
Jornalistas argelinos que participavam de uma manifestação no centro de Argel contra a censura foram presos nesta quinta-feira (28/2) pela polícia.

Cerca de cem profissionais de meios de comunicação se manifestavam na "Praça da Liberdade e da Imprensa" para denunciar as pressões que sofrem no exercício de suas funções, em função das restrições à cobertura do atual movimento de protestos na Argélia.

A Argélia vive há quase uma semana um grande movimento de protestos contra a perspectiva de um quinto mandato do presidente Abdelaziz Bouteflika, no poder desde 1999.

Os meios de comunicação públicos argelinos e as televisões privadas, pertencentes a empresários próximos ao poder, silenciaram o movimento de protesto por vários dias.

Jornalistas da rádio nacional argelina disseram que esse silêncio foi imposto por sua chefia e denunciaram a ausência de neutralidade nas transmissões e o "tratamento excepcional" reservado ao campo do presidente Buteflika.

A organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF) afirmou na quarta-feira que as autoridades argelinas fizeram "tudo para amordaçar a mídia" que queria cobrir o atual movimento de protesto e denunciaram "prisões, assaltos, proibições de cobertura, confisco de material, pressões para mídia pública e desaceleração da rede de internet".


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.