diplomacia Trump diz que encontrará Kim Jong-un nos dias 27 e 28 de fevereiro, no Vietnã

Por: AE

Publicado em: 06/02/2019 09:16 Atualizado em:

Foto: Dan Scavino Jr./Wikimedia Commons
Foto: Dan Scavino Jr./Wikimedia Commons
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou na noite desta terça-feira, 5, no discurso anual do Estado da União que irá realizar uma reunião de cúpula com o líder da Coreia do Norte, Kim Jong Un nos dias 27 e 28 de fevereiro no Vietnã. 

"Nos continuamos o nosso empenho histórico pela paz na península coreana", destacou Trump, ao apontar que seu relacionamento especial com Kim Jong Un viabilizou o encerramento de testes nucleares pelo governo de Pyongyang por 15 meses. "Se eu não tivesse sido eleito presidente dos Estados Unidos, nos poderíamos agora mesmo, na minha opinião, estar em uma grande guerra com a Coreia do Norte com potencialmente milhões de pessoas mortas." 

Donald Trump destacou que há duas semanas os EUA reconheceram oficialmente o "governo legítimo da Venezuela, com seu novo presidente interino Juan Guaidó." O presidente americano destacou que o povo americano apoia o povo daquele país e inclusive sua demanda nobre por liberdade e "condenamos a brutalidade do regime de (Nicolás) Maduro, cujas políticas socialistas transformaram um dos países mais ricos da América do Sul em um Estado de abjeta pobreza e desespero." 

Trump também destacou que os EUA firmaram um acordo com a Rússia para limitar e reduzir o alcance de mísseis. "Enquanto nos seguimos o acordo ao pé da letra, a Rússia violou seus termos repetidamente. Este é o motivo porque eu anunciei que os Estados Unidos estão oficialmente se retirando do acordo de alcance intermediário de forças nucleares", destacou.

Infraestrutura

O presidente disse que está "ansioso" para trabalhar com parlamentares da Câmara dos Representantes e do Senado para a aprovação de uma lei para projetos de infraestrutura. 

"Eu sei que o Congresso está ansioso para passar uma lei de infraestrutura e estou ansioso para trabalhar com vocês, legisladores, para entregar novo e importante investimento em infraestrutura", disse o presidente, ressaltando a inclusão de recursos para manter a excelência da indústria americana. "Esta não é uma opção, é uma necessidade." 

Imigrantes

No discurso, o presidente dos Estados Unidos afirmou que imigrantes que entram nos EUA de forma legal enriquecem o país e fortalecem a sociedade. Ele ressaltou que a imigração ilegal no país é cruel. "Dezenas de milhares de americanos inocentes são mortos por drogas letais que cruzam nossas fronteiras e inundam nossas cidades", destacou. 

Muro

Trump apontou que deseja que pessoas ingressem nos EUA, mas que elas precisam ter status legal de imigração. O presidente destacou que enviou ao Congresso uma proposta para encerrar a crise na fronteira sul do país, o que inclui ajuda humanitária, mais servidores para trabalhar na patrulha de fronteiras e para detectar o ingresso de drogas nos portos. Neste contexto, destacou que é necessário a construção de um muro, ou barreira na divisa com o México. 

O presidente dos EUA destacou que muros funcionam e salvam vidas e que o muro na fronteira com o México é necessário para trabalhar para que a América fique mais segura. "No passado, a maioria das pessoas neste sala votou pelo muro, mas o muro apropriado nunca foi construído. Eu vou construí-lo", garantiu.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.