protesto Protesto contra violência de gênero reúne milhares em Quito

Por: AFP - Agence France-Presse

Publicado em: 22/01/2019 08:24 Atualizado em:

Os manifestantes, em sua maioria mulheres vestidas de preto em sinal de luto, caminharam por cerca de duas horas até chegar à sede principal da Procuradoria-Geral do Estado, no centro de Quito. Foto: Cristina Vega / AFP
Os manifestantes, em sua maioria mulheres vestidas de preto em sinal de luto, caminharam por cerca de duas horas até chegar à sede principal da Procuradoria-Geral do Estado, no centro de Quito. Foto: Cristina Vega / AFP
O estupro de uma mulher por três jovens e o assassinato de outra levou milhares de pessoas às ruas de Quito nesta segunda-feira (22/1) ,para protestar contra o violência de gênero no Equador.

Os manifestantes, em sua maioria mulheres vestidas de preto em sinal de luto, caminharam por cerca de duas horas até chegar à sede principal da Procuradoria-Geral do Estado, no centro de Quito. "Nos matam e nos estupram e o Estado não faz nada", gritavam os manifestantes.

Na semana passada, uma mulher de 35 anos foi violentada por três amigos, e um emigrante venezuelano matou uma jovem na cidade andina de Ibarra, no norte do país.

Devido ao crime em Ibarra, diante de vários policias que não puderam evitá-lo, o Equador endureceu sua política migratória com os venezuelanos, enquanto a população local expulsava os emigrantes de hotéis, casas e parques da cidade.

"Queremos dizer ao Estado e à sociedade que não vamos promover um discurso de ódio, não vamos permitir que em nosso nome façam e digam discursos xenófobos", declarou Anaís Córdova, do coletivo Vivas nós queremos.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.