Planejamento Satellogic fecha contrato com chinesa CGWIC para colocar 90 satélites em órbita

Publicado em: 18/01/2019 09:20 Atualizado em:

Foto: HO/AFP (Foto: HO/AFP)
Foto: HO/AFP
A startup Satellogic, investida do fundo brasileiro Pitanga e a chinesa Tencent, fechou um contrato com a China Great Wall Industry Corporation (CGWIC) para levar ao espaço 90 microssatélites da empresa a partir da base da organização chinesa em Taiyuan. O primeiro lançamento está planejado para o último trimestre de 2019 em um foguete Long March 6 (LM-6), que colocará 13 novos dispositivos em órbita.

A previsão é de que os 90 microssatélites incluídos no acordo estejam em órbita até 2020, formando uma constelação de observação da Terra com a capacidade de fornecer, semanalmente, imagens com um metro de resolução de todo o planeta, reduzindo o custo dos serviços de análise geoespacial de alta frequência. Setores agrícola, florestal, energia e de seguros devem ser beneficiados com a nova tecnologia.

"Queremos ajudar a resolver os desafios mais urgentes que o mundo enfrenta, construindo uma imagem precisa e atualizada do nosso planeta, com todas as mudanças que ocorrem diariamente", comenta em nota o fundador e CEO da Satellogic, Emiliano Kargieman. "Este acordo é um passo importante para concretizar nossa visão. Com mais de 90 satélites poderemos oferecer mapeamentos semanais de alta resolução de todo o planeta a um preço que estabelecerá um novo patamar de acesso neste mercado", afirma

Fundada em 2010 na Argentina, a Satellogic tem mais de 150 engenheiros especializados em satélites, dados e inteligência artificial. A equipe de P&D da startup está baseada em Buenos Aires, enquanto as atividades de montagem, integração e testes são realizadas em Montevidéu, no Uruguai.

A empresa tem ainda um centro especializado em inteligência artificial e tecnologia de dados localizado em Barcelona, na Espanha, uma equipe de desenvolvimento de produtos em Tel Aviv, em Israel, e um escritório de desenvolvimento de negócios em Miami, nos Estados Unidos.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.