Solicitação Paraguai pedirá que Brasil cancele concessão de refúgio a três homens

Por: Agência Brasil

Publicado em: 09/01/2019 15:18 Atualizado em:

Foto: Reprodução/ Flickr
Foto: Reprodução/ Flickr
O governo do Paraguai vai pedir ao Brasil o cancelamento, a revogação e a cessação do estatuto de refugiado concedido a Juan Arrom, Anúncio Martí e Victor Colman. Os três foram processados pela Justiça paraguaia pelo sequestro de uma mulher há quase 18 anos.

O vice-ministro das Relações Exteriores, Hugo Saguier, anunciou a decisão nesta quarta-feira (9) depois se de reunir com o presidente paraguaio, Mario Abdo Benítez. Saguier que o Paraguai aguardava a posse do presidente Jair Bolsonaro para entrar com a solicitação. Amanhã (10) ele se encontrará em Brasília com o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e entregará o pedido do governo paraguaio.

A concessão do estatuto de refugiado é dada pelo Comitê Nacional para Refugiados (Conare), órgão ligado ao Ministério da Justiça e Segurança. "Verificou-se que os refugiados violaram as normas internas brasileiras", afirmou o vice-chanceler.

Processo
Arrom, Martí e Colmán foram indiciados pelo sequestro de María Edith Bordón de Debernardi, mulher de um empresário paraguaio, em 2001. A mulher foi libertada, após pagamento de resgate, cerca de dois meses depois de ser capturada .

Arrom e Martí acusam policiais de torturá-los e cobram indenização do Estado paraguaio. O governo do Paraguai recorreu e houve interferência da Corte Interamericana de Direitos Humanos. Em 7 de fevereiro, o Paraguai apresentará argumentos alegando que ambos são fugitivos da Justiça.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.