EUA Protecionismo americano é duramente criticado em fórum da OMC Vários membros da organização denunciaram a série de tarifas que Washington aplicou nos últimos meses e outras medidas adotadas pelo governo do presidente Donald Trump

Por: AFP - Agence France-Presse

Publicado em: 17/12/2018 18:31 Atualizado em:

Foto: AFP (Foto: AFP)
Foto: AFP
As grandes potencias econômicas criticaram os Estados Unidos nesta segunda-feira (17), durante um fórum da Organização Mundial do Comércio (OMC), no qual Washington foi acusada de proteger seus interesses, prejudicando seu papel de liderança.

Cada membro da OMC deve submeter sua política comercial periodicamente à revisão, mas a auditoria dos Estados Unidos foi particularmente acalorada. Vários membros da organização denunciaram a série de tarifas que Washington aplicou nos últimos meses e outras medidas adotadas pelo governo do presidente Donald Trump.

O embaixador da China na OMC, Zhang Xiangchen, que falou após o representante americano, foi direto em suas críticas.

"Um chefe tem que agir como tal. Não pode se limitar a ver simplesmente o campo de seus interesses pessoais, com certeza não tem que fazer o que quiser, sacrificando os demais", afirmou Zhang, segundo declarações fornecidas por uma autoridade comercial que assistiu à reunião a portas fechadas, em Genebra.

A OMC, que reúne 164 membros, é um dos campos da batalha comercial entre as duas maiores economias do mundo.

O governo de Trump critica a OMC por não responder às ameaças que a China representa e deixar Pequim desafiar regras comerciais globais impunemente.

O embaixador americano na OMC, Dennis Shea, reiterou que Washington iria continuar a pedir reformas, e destacou que a relevância do organismo diminuiria se ele não tomar ações para se opor à China.

A União Europeia deu seu apoio a alguns esforços dos Estados Unidos para se opor à China na OMC.

Mas o embaixador da UE, Marc Vanheukelen, disse nesta segunda que "o sistema multilateral de comércio está passando por uma profunda crise e os Estados Unidos estão no epicentro por alguns motivos".

O Canadá e o Japão também se juntaram ao debate denunciando as tarifas que o presidente Trump impôs ao aço e ao alumínio.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.