meio ambiente Após recuo do Brasil, Guatemala se oferece para sediar Cúpula do Clima Costa Rica e Chile também se candidataram para receber o evento

Por: Agência Brasil

Publicado em: 01/12/2018 09:31 Atualizado em: 01/12/2018 09:37

Brasil desistiu de sediar a Cúpula do Clima por "falta de verbas" (Foto: AFP)
Brasil desistiu de sediar a Cúpula do Clima por "falta de verbas" (Foto: AFP)


A Guatemala apresentou sua candidatura para organizar a Conferência das Nações Unidas sobre Mudança Climática (COP25), marcada para novembro de 2019. A informação foi confirmada pelo ministro de Ambiente e Recursos Naturais, Alfonso Alonzo. Costa Rica e Chile também se candidataram.

"A Guatemala se postulou como país anfitrião da Conferência das Nações Unidas sobre a Mudança Climática, evento no qual se discute o futuro do mundo a respeito do clima", disse Alonzo à Agência Guatemalteca de Notícias ("AGN"), que é o canal público de comunicação do país.

Com a retirada da candidatura por parte do Brasil, a Guatemala solicitou à sede e Honduras apoiou a candidatura diante das Nações Unidas. Segundo o ministro, é uma uma demostração da "vontade e responsabilidade" do presidente Jimmy Morales com o meio ambiente.

Alonzo lembrou que nunca se organizou na Guatemala um evento como a COP25 e que, portanto, "seria como se tivéssemos a Copa do Mundo ou os Jogos Olímpicos da mudança climática". 

"Esperamos que as Nações Unidas tomem a decisão nos próximos dias. Nós estamos preparados, temos toda a infraestrutura, demonstramos isso na 26ª Cúpula Ibero-Americana", afirmou Alonzo, referindo-se ao evento que ocorreu os últimos dias 15 e 16 de novembro.

A Guatemala estará representada na Cúpula do Clima das Nações Unidas de 2018 (COP24) - que acontecerá entre os dias 3 e 14 de dezembro na Polônia - pelo seu ministro e ali destacará que, apesar de ser um dos países que menos contamina o planeta (0,004% do total das emissões mundiais), é um dos dez mais vulneráveis.

*Com informações da Agência EFE


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.