sanções UE prorroga sanções contra Venezuela por violações de direitos humanos A ação é uma resposta às acusações de abusos de direitos humanos cometidos por autoridades durante protestos antigoverno em janeiro e à eleição presidencial de maio, que reelegeu Maduro

Por: AE

Publicado em: 07/11/2018 08:24 Atualizado em:

O bloco acusa o país de violar os direitos humanos e comprometer a democracia e o estado de direito sob o comando do presidente Nicolás Maduro. Foto: AFP
O bloco acusa o país de violar os direitos humanos e comprometer a democracia e o estado de direito sob o comando do presidente Nicolás Maduro. Foto: AFP
A União Europeia prorrogou na terça-feira (6/11) até novembro de 2019, sanções impostas contra a Venezuela. O bloco acusa o país de violar os direitos humanos e comprometer a democracia e o estado de direito sob o comando do presidente Nicolás Maduro.

O bloco impôs um embargo contra a Venezuela que proíbe viagens, venda de armas e de equipamento para repressão interna e congela os bens de 18 autoridades do país.

A ação é uma resposta às acusações de abusos de direitos humanos cometidos por autoridades durante protestos antigoverno em janeiro e à eleição presidencial de maio, que reelegeu Maduro.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.