eleições americanas Obama e Trump rivalizam em meio a esforços finais para conquistar eleitores Obama e Trump têm oferecido visões opostas para um país dividido entre campanhas que, neste domingo, buscaram consolidar votos e garantir comparecimento às unas para a disputa pelo controle do Congresso e dos governos estaduais

Publicado em: 04/11/2018 20:02 Atualizado em:

Fotos: Divulgação/muycomputer.com e Nicolas Kamm/AFP Photo
Fotos: Divulgação/muycomputer.com e Nicolas Kamm/AFP Photo
Não mais relutando em falar em público, o ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, tem apresentado argumentos finais para os democratas que buscam nas eleições parlamentares de terça-feira um controle das políticas do presidente Donald Trump. 

Obama e Trump têm oferecido visões opostas para um país dividido entre campanhas que, neste domingo, buscaram consolidar votos e garantir comparecimento às unas para a disputa pelo controle do Congresso e dos governos estaduais. 

Obama viajou a Gary, no Estado de Indiana, para fazer campanha pelo Senador Joe Donnelly, que enfrenta uma dura disputa com o empresário Republicano Mike Braun. Mais tarde, o ex-presidente foi à Chicago em apoio a J.B. Pritzker, o candidato Democrata ao governo de Illinois. 

Obama tem reassumido papel público após um período em que evitou se contrapor diretamente às políticas de Trump, muitas delas voltadas a desmantelar o legado do ex-presidente. Sem citar o nome de seu sucessor, Obama acusou-o de se apoiar na arrogância e no medo e pediu que os Democratas se mantenham atentos. 

Trump rebateu acusando Obama de deixar para trás um rastro de promessas não cumpridas em áreas como comércio e a economia. O presidente participou de campanhas em Macon, na Georgia e Chattanooga, Tennessee, em apoio ao candidato ao governo da Georgia, Brian Kemp, e à candidata ao Senado pelo Tennessee, Marsha Blackburn. Fonte: Associated Press.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.