campanha Governador anuncia campanha para denunciar os homossexuais na Tanzânia A homossexualidade é um crime na Tanzânia, com pena mínima de 30 anos e que pode ser punido até com prisão perpétua

Por: AFP - Agence France-Presse

Publicado em: 30/10/2018 09:14 Atualizado em:

Foto: Daniel Shih / AFP
Foto: Daniel Shih / AFP
O governador da província de Dar es Salaam na Tanzânia lançou uma campanha anti-gay e pediu aos moradores que denunciem os homossexuais, além de prometer detenções.

Paul Makonda falou nesta segunda-feira (29/10) sobre a nova política. "Tenho informações sobre a presença de muitos homossexuais em nossa província", que inclui a cidade de Dar es Salaam, capital econômica da Tanzânia. "Estes homossexuais se vangloriam nas redes sociais. A partir de hoje (segunda-feira) e até domingo, apresentem seus nomes", pediu aos habitantes da província.

O governador, cristão, considera que a homossexualidade destrói os valores morais dos tanzanianos e de das duas religiões presentes no país, a cristã e muçulmana. "Minha equipe ad hoc começará a prendê-los na próxima segunda-feira", prometeu.
 
Paul é membro do partido que governa o país, Chama cha Mapinduzi (CCM) e mantém proximidade com o discurso do presidente John Magufuli, também conhecido por sua hostilidade em relação aos homossexuais. "Eu sei que quando denuncio a homossexualidade alguns países se irritam comigo. Mas prefiro irritar estes países do que irritar Deus", disse Makonda. 
 
A homossexualidade é um crime na Tanzânia, com pena mínima de 30 anos e que pode ser punido até com prisão perpétua.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.