Caso Khashoggi Assassinato de Khashoggi foi 'premeditado', afirma procurador saudita Depois de negar a morte do jornalista, Riad, sob pressão internacional, apresentou versões diferentes

Por: AFP - Agence France-Presse

Publicado em: 25/10/2018 09:06 Atualizado em:

Jamal Khashoggi, jornalista e crítico do regime saudita, foi assassinado no consulado saudita em Istambul no dia 2 de outubro. Foto: MOHAMMED AL-SHAIKH / AFP
Jamal Khashoggi, jornalista e crítico do regime saudita, foi assassinado no consulado saudita em Istambul no dia 2 de outubro. Foto: MOHAMMED AL-SHAIKH / AFP
O procurador-geral da Arábia Saudita declarou nesta quinta-feira que, segundo as informações apresentadas pela Turquia, os suspeitos acusados pelo assassinato do jornalista Jamal Khashoggi cometeram um ato "premeditado", informa a imprensa estatal de Riad.

A investigação continua, completou o procurador. Jamal Khashoggi, jornalista e crítico do regime saudita, foi assassinado no consulado saudita em Istambul no dia 2 de outubro.

Depois de negar a morte do jornalista, Riad, sob pressão internacional, apresentou versões diferentes: primeiro citou uma "briga" que acabou mal e depois citou uma operação "não autorizada" da qual o príncipe herdeiro Mohamed bin Salman, considerado o homem forte do país, não foi informado.



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.