frança Inundações no sul da França deixaram 14 mortos e 74 feridos Catorze pessoas morreram e 74 ficaram feridas nas graves inundações do começo desta semana no sul da França

Por: AFP - Agence France-Presse

Publicado em: 18/10/2018 08:37 Atualizado em:

Três dias depois das inundações, 1.522 residências permanecem sem energia elétrica. Foto: AFP
Três dias depois das inundações, 1.522 residências permanecem sem energia elétrica. Foto: AFP
Catorze pessoas morreram e 74 ficaram feridas nas graves inundações do começo desta semana no sul da França, onde as águas atingiram um nível sem precedentes desde 1891, informou nesta quarta-feira (17) a Prefeitura da região afetada.

O balanço das vítimas destas chuvas, as mais mortais em uma década, deu conta de seis mortos em Trèbes, três em Villegailhenc, duas em Villalier, uma em Villardonnel, uma em Carcassone e outra em Saint-Couat d'Aude. A última pessoa que tinha sido reportada como desaparecida foi encontrada sã e salva, informou a Prefeitura do departamento (estado) de Aude nessa quarta. 

Três dias depois das inundações, 1.522 residências permanecem sem energia elétrica e seis comunas sem água potável, informaram as autoridades.No domingo, em apenas cinco horas, choveu "entre 160 e 180 mm na aglomeração de Carcassone", destacou o prefeito do departamento de Aude, Alain Thirion. 

Os campos destas regiões ficaram alagados por completo, várias rodovias foram destruídas ou ficaram intransitáveis, com árvores caídas interrompendo as vias. Vários veículos foram arrastados pela enxurrada. O fenômeno meteorológico provocou desde a segunda-feira o fechamento de escolas e causou perturbações na circulação de trens.

Na vizinha Espanha, a tempestade Leslie chegou no domingo com menos intensidade que o esperado. A cidade de Zamora (oeste) registrou rajadas de até 100 km/h e a queda de árvores provocou interrupções no serviço de eletricidade.

A princípio um furacão, Leslie vagou pelo oceano Atlântico desde 23 de setembro e depois se tornou uma tempestade pós-tropical, que atingiu Portugal na manhã deste domingo com ventos de até 176 km/h, arrancando árvores e deixando centenas de milhares de residências sem eletricidade.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.