méxico Furacão Rosa chega à categoria quatro ao largo da costa mexicana Rosa avança longe da costa mexicana, mas se espera que no fim de semana vire para o nordeste para se aproximar da península de Baixa Califórnia, possivelmente já rebaixado à tempestade tropical

Por: AFP - Agence France-Presse

Publicado em: 28/09/2018 09:15 Atualizado em:

Foto: NOAA/NWS/NATIONAL HURRICANE CENTER
Foto: NOAA/NWS/NATIONAL HURRICANE CENTER
Rosa se tornou na noite desta quinta-feira (27/9) um furacão de categoria quatro na escala Saffir-Simpson (1 a 5),  enquanto se desloca pelo Pacífico ao largo da costa do México, segundo o último boletim do Centro Nacional de Furacões (NHC) dos Estados Unidos. "Rosa se tornou o sétimo furacão de categoria 4 da temporada, com ventos firmes de 230 km/h", assinala o boletim das 03h00 GMT (24h00 Brasília) do NHC.

O furacão se desloca para leste a uma velocidade de 15 km/h e se encontra a 975 km da parte sul da península da Baixa Califórnia, no noroeste do México. Rosa avança longe da costa mexicana, mas se espera que no fim de semana vire para o nordeste para se aproximar da península de Baixa Califórnia, possivelmente já rebaixado à tempestade tropical. A costa noroeste do México foi atingida recentemente por fortes chuvas que deixaram ao menos 11 mortos.

Segundo as previsões, à medida que Rosa se aproximar do continente, o noroeste do México e o litoral da Califórnia serão afetados pelo fenômeno, que causará chuvas e ondas altas. Ao menos oito pessoas morreram e outras seis estão desaparecidas depois que uma forte chuva atingiu um povoado de Michoacán, um estado vizinho de Colima, provocando o transbordamento de um rio e de uma represa. Na semana passada, estas fortes chuvas afetaram também Sinaloa (noroeste) com ao menos três mortos e três desaparecidos.

O Serviço Meteorológico mexicano alertou que as intensas chuvas em grande parte da costa do Pacífico saturaram o terreno e poderia "haver deslizamentos, transbordamento de rios e córregos ou danos em caminhos e trechos de estrada, assim como inundações em zonas baixas e locais urbanos".


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.