evacuação Moradores abandonam suas casas por grande incêndio na Toscana Cerca de 700 pessoas foram evacuadas como medida preventiva e transferidas para escolas e ginásios da região

Publicado em: 25/09/2018 12:01 Atualizado em:

Foto: FEDERICO SCOPPA / AFP
Foto: FEDERICO SCOPPA / AFP
Roma, Itália - Um grande incêndio foi declarado durante a noite na região de Pisa (Toscana), norte da Itália, e obrigou centenas de pessoas a abandonarem suas casas de modo preventivo.


O incêndio teve início na região florestal do Monte Serra e, com os ventos, se propagou rapidamente, com ameaças paras as localidades de Calci, Montemagno e San Lorenzo e la Torre.

Cerca de 700 pessoas foram evacuadas como medida preventiva e transferidas para escolas e ginásios da região. Calcula-seque cerca de 600 hectares foram devastados pelas chamas. As imagens dos vários canais de televisão na terça-feira (25/9) mostraram altas chamas avermelhadas engolindo grandes áreas de floresta e chegando a tocar os campos com oliveiras. 

Os bombeiros não conseguiram controlar as chamas depois de mais de 12 horas devido às rajadas de vento que atingiram a região. "Incêndio devasta Calci. As casas mais próximas foram contactadas", afirmou o prefeito da cidade, Massimiliano Ghimenti.

De acordo com o prefeito, quase 500 pessoas deixaram suas casas no município e na vizinha San Lorenzo e la Torre. Além dos aviões de combate ao incêndio, dezenas de bombeiros foram mobilizados para lutar contra as chamas. "Estamos enfrentando um incêndio muito importante. Agora o principal é salvar a população", afirmou o comandante dos bombeiros de Pisa, Ugo D'Anna, antes de indicar que a origem das chamas é "quase com certeza voluntária".

O ministro do Meio Ambiente, Sérgio Costa, pediu, por sua parte, a abertura imediata de uma investigação para determinar as causas do incêndio, que para muitos é intencional. "Não se pode esquecer que neste verão choveu muito e não se pode culpar a seca", lembrou Rossi, referindo-se às fortes chuvas que ocorreram nos meses mais quentes do ano.

A Codacons, a principal associação de consumidores na Itália, prometeu uma recompensa de 2.000 euros para qualquer pessoa que forneça informações úteis para identificar o possível incendiário.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.