Decisão Presidente do Uruguai ordena a prisão de comandante do exército que deu opinião sobre lei O governo informou, através do seu site, que a Constituição uruguaia determina que "os militares não podem interferir com opiniões sobre projetos de lei"

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 13/09/2018 21:00 Atualizado em:

Foto: AFP (Foto: AFP)
Foto: AFP
O presidente do Uruguai, Tabaré Vázques, determinou a prisão de Guido Manini Ríos, comandante do Exército, por 30 dias. Manini Ríos se pronunciou de forma contrária a um projeto de lei proposto pelo governo, que consiste em uma reforma do sistema de pensões militares, além de uma nova lei para as Forças Armadas. A pena começa a contar na próxima segunda-feira (17).

O governo informou, através do seu site, que a Constituição uruguaia determina que "os militares não podem interferir com opiniões sobre projetos de lei".

De acordo com Vázques, o comandante "atua de boa fé e com a lealdade institucional que devem ter as Forças Armadas, mas se equivocou e foi sancionado".

"A decisão de prisão por 30 dias do comandante do Exército, general Guido Manini Ríos, foi tomada por situações múltiplas que mereceram em seu momento avaliações, que contravêm regulamentações e artigos constitucionais", concluiu o presidente uruguaio.

**Com informações do jornal Folha de São Paulo


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.