tarifas Maduro tabela preço, põe fiscais nas ruas e prende quem desobedece Recentemente, a Venezuela decidiu cortar cinco zeros das notas de dinheiro e mudar o nome da moeda nacional para bolívares soberanos, segundo as autoridades venezuelanas, as medidas fazem parte das novas políticas econômicas e de ordenamento fiscal do país

Por: Agência Brasil

Publicado em: 23/08/2018 09:26 Atualizado em:

O país cortar cinco zeros das cédulas e mudou o nome da moeda nacional para bolívares soberanos. Foto: Zurimar Campos/ Venezuelan Presidency / AFP
O país cortar cinco zeros das cédulas e mudou o nome da moeda nacional para bolívares soberanos. Foto: Zurimar Campos/ Venezuelan Presidency / AFP
Caracas, Venezuela - O governo do presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, fixou preço em tabela para 25 produtos considerados essenciais na cesta básica e colocou fiscais nas ruas das principais cidades para vistoriar o cumprimento da ordem. Pelo menos dois comerciantes foram presos nesta quarta-feira (22/8) acusados de descumprimento da ordem.

Na sua conta na rede social Twitter, o ministro do Interior, Justiça e Paz, Néstor Reverol, confirmou a detenção do gerente e do subgerente de uma rede de supermercados. Segundo ele, ambos foram denunciados por especulação de preços.

De acordo com Reverol, foram constatados aumentos de preços superiores a 200% dos valores fixados e também a existência de produtos sem nota fiscal. O ministro reiterou que a preocupação é com o consumidor.

Preços
O Diário Oficial da Venezuela publicou hoje (22) a lista dos 25 produtos da cesta básica que devem ser mantidos a um preço fixo. A relação inclui carne de boi, ovos, frango beneficiado, arroz, açúcar, farinha de milho, massas, leite pasteurizado, aveia, lentilha e café, entre outros.

Segundo o informativo oficial, 35 empresas aderiram ao apelo do governo.

De acordo com as autoridades venezuelanas, as medidas fazem parte das novas políticas econômicas e de ordenamento fiscal do país. Recentemente, a Venezuela decidiu cortar cinco zeros das notas de dinheiro e mudar o nome da moeda nacional para bolívares soberanos. As informações são da Presidência da República da Venezuela.

Crise
A crise na Venezuela atinge níveis tão elevados que causou um intenso fluxo migratório na América do Sul e o Brasil e a Colômbia estão entre os países que mais recebem venezuelanos em busca de oportunidade e refúgio.

Os imigrantes que chegam ao Brasil queixam-se das dificuldades que enfrentam na Venezuela como a falta de produtos básicos, alimentos, emprego e segurança.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.