Tradição Mais de dois milhões de muçulmanos iniciam peregrinação a Meca Peregrinos muçulmanos caminham por uma rua da cidade santa de Meca, na Arábia Saudita, antes do começo do haje

Por: AFP - Agence France-Presse

Publicado em: 19/08/2018 11:39 Atualizado em:

Mais de dois milhões de fiéis iniciaram neste domingo (19), sob um calor sufocante, a grande peregrinação a Meca, o lugar mais sagrado do Islã na Arábia Saudita.

A concentração de multidões representa um desafio logístico para as autoridades.

O "hach" (peregrinação) é um dos cinco pilares do Islã de cumprimento obrigatório para todos os muçulmanos ao menos uma vez na vida, sempre que disponham de meios para fazê-lo.

"Vir aqui é o sonho de todo o muçulmano", é "a última viagem", declarou à AFP Soliman Ben Mohri, um comerciante de 53 anos que mora na França.

Os peregrinos chegam a Meca, na parte oeste do reino, saídos de todo mundo, especialmente de Egito, Índia, Paquistão, Bangladesh e Sudão, detalham as autoridades.

A peregrinação termina com o Eid al-Adha, também conhecido como Festa do Sacrifício, que dura três dias e é seguido pelo ritual da "lapidação de Satanás".

Com o passar dos anos, o hajj foi adquirindo um aspecto cada vez mais tecnológico, com diversos aplicativos de celular para ajudar os fiéis a compreender as instruções, se orientar, ou obter atendimento urgente do Crescente Vermelho saudita.

A peregrinação de 2015 ficou de luto por uma gigantesca explosão, na qual morreram 2.300 pessoas, entre elas centenas de iranianos.

A de 2018 ocorre em um momento no qual a Arábia Saudita, um país ultraconservador, encontra-se em plena transformação, com uma série de reformas que, por exemplo, permitiram que as mulheres dirijam. No entanto, ao mesmo tempo, as autoridades calam duramente as vozes dissidentes.



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.