Chuvas Inundações na Índia mataram mais de 320 pessoas nos últimos nove dias As chuvas de monção matam centenas de pessoas na Índia anualmente. A temporada dura de junho a setembro

Por: AE

Publicado em: 17/08/2018 18:32 Atualizado em:

Foto: AFP
Foto: AFP
Equipes de salvamento utilizam helicópteros e barcos nesta sexta-feira (17), para resgatar milhares de pessoas presas em telhados após uma inundação sem precedentes no Estado de Kerala, sul da Índia, que já matou mais de 320 pessoas nos últimos nove dias, informaram autoridades.

Mais de 1,5 mil campos estatais foram inundados, ilhando os moradores. Segundo os serviços de emergência, mais de 12 helicópteros e cerca de 400 barcos são utilizados nos trabalhos. A maior autoridade do Estado, Pinarayi Vijayan, disse a repórteres que ao menos 324 pessoas morreram e mais de 220 mil estão desabrigadas.

As fortes chuvas dos últimos nove dias desencadearam enchentes, deslizamentos de terra e desabamentos de moradias e pontes, além da interrupção de serviços aéreos e ferroviários em Kerala, que é destino turístico popular, com cachoeiras e praias.

As chuvas de monção matam centenas de pessoas na Índia anualmente. A temporada dura de junho a setembro. 

Desde junho, as inundações decorrentes das monções atingiram fortemente 12 dos 14 distritos de Kerala, danificando milhares de casas.

O canal de notícias New Delhi Television informou que o estado enfrenta uma crise, com alguns hospitais relatando escassez de oxigênio e postos de gasolina sem combustível. No aeroporto internacional de Kochi, importante cidade portuária, todos os voos foram suspensos até sábado, já que a pista foi inundada.

Além disso, as autoridades pediram aos turistas que fiquem longe da estação de montanha de Munnar, no distrito de Idukki, pelo risco de inundações. O local é um destino turístico popular.

Desde o início da temporada de monções, mais de mil pessoas morreram em sete Estados da Índia. Só em Kerala, foram 407 mortes.




Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.