resgate Polícia resgata 11 crianças de complexo em condições deploráveis nos EUA A operação tinha como objetivo inicial resgatar um menino sequestrado há três anos, de acordo com a polícia do condado de Taos, no Novo México.

Por: AFP - Agence France-Presse

Publicado em: 06/08/2018 09:07 Atualizado em:

Complexo improvisado em Amalia, Novo México, onde a polícia resgatou 11 crianças e prendeu dois 'extremistas armados'. Foto: AFP
Complexo improvisado em Amalia, Novo México, onde a polícia resgatou 11 crianças e prendeu dois 'extremistas armados'. Foto: AFP
Los Angeles, Estados Unidos - Onze crianças com idades entre 1 e 15 anos foram resgatadas no estado americano do Novo México, depois que agentes invadiram um complexo improvisado ocupado por homens armados, afirmou a polícia.  

Dois homens foram detidos no local, onde também estavam os menores de idade. "Encontramos os meninos nas condições de vida e de pobreza mais tristes que já vi", afirmou um agente. A operação tinha como objetivo inicial resgatar um menino sequestrado há três anos, de acordo com a polícia do condado de Taos, no Novo México. 

A investigação começou no ano passado do outro lado dos Estados Unidos, em Jonesboro, Geórgia, onde Siraj Wahhaj, de 39 anos, nascido no condado de Clayton, no estado sulista, foi acusado de sequestrar o filho, que não foi encontrado no complexo do Novo México.

A mãe do menino afirmou à polícia que o filho, que segundo ela sofre convulsões e atrasos cognitivos e de desenvolvimento, foi ao parque com o pai em dezembro e nunca retornou.  No dia 2 de agosto, o xerife do condado de Taos, Jerry Hogrefe, emitiu uma ordem de vusca que descrevia "um complexo improvisado, cercado de pneus e terra", em uma subdivisão na qual se acreditava que estavam Wahhaj e Lucas Morten, um adulto.

O FBI forneceu informações e vigilância no local, mas não acreditava que existisse uma causa provável para entrar na propriedade, informou Hogrefe. "Tudo mudou quando um detetive da Geórgia nos transmitiu uma mensagem que razoavelmente acreditávamos que era de alguém que estava no complexo: a mensagem dizia simplesmente 'estamos famintos e precisamos de comida e água", explicou o xerife em um comunicado. "Sabia que não poderíamos esperar a intervenção de outra agência e tivemos que verificar o mais rápido possível", completou.

O oficial informou que a operação foi planejada pensando na segurança dos policiais "porque sabíamos que os ocupantes provavelmente estavam fortemente armados". 

Sem água ou comida 
 
Na manhã de sexta-feira (3/8) os agentes entraram no local, onde encontraram os dois homens com um rifle AR-15, cinco carregadores de 30 cartuchos e quatro pistolas carregadas, incluindo uma no bolso de Wahhaj. 

A polícia encontrou mais munição no esconderijo em ruínas, descrito como um pequeno trailer de viagem enterrado no chão, coberto de plástico, sem água, encanamento ou eletricidade "a única comida que vimos foram algumas batatas e uma caixa de arroz no trailer imundo", disse Hogrefe. Ainda segundo cherife as crianças vestiam roupas sujas e gastas  "Mas o mais surpreendente e desolador foi quando a equipe localizou um total de cinco adultos e 11 crianças que se pareciam com refugiados do terceiro mundo", completou. 

A operação não registrou incidentes ou feridos, de acordo com a polícia. Morten foi acusado de abrigar um fugitivo e Wahhaj de sequestro de menores. 

Três mulheres que a polícia acredita que são mães das crianças - que agora estão sob custódia e proteção - também foram detidas para interrogatório. Em seguida, elas foram liberadas para aguardar as investigações.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.