Respostas Diretor de Aviação Civil da Malásia renuncia após informe do MH370 Foram encontrados apenas três fragmentos confirmados do MH370, todos eles na costa do oceano Índico ocidental

Por: AFP - Agence France-Presse

Publicado em: 31/07/2018 09:26 Atualizado em:

O informe apresentado às famílias das vítimas concluiu que os investigadores foram "incapazes de determinar a verdadeira causa do desaparecimento do MH370". Foto: Mohd RASFAN/ AFP
O informe apresentado às famílias das vítimas concluiu que os investigadores foram "incapazes de determinar a verdadeira causa do desaparecimento do MH370". Foto: Mohd RASFAN/ AFP
O diretor-geral da Aviação Civil da Malásia entregou o cargo nesta terça-feira (31), um dia depois da publicação do informe sobre o desaparecimento do avião da Malaysian Airlines que fazia o voo MH370 em 2014 com 239 pessoas a bordo.

O informe apresentado às famílias das vítimas na segunda-feira (30), no Ministério dos Transportes, concluiu que os investigadores foram "incapazes de determinar a verdadeira causa do desaparecimento do MH370".

O documento de 400 páginas aponta ainda as inúmeras falhas dos controladores aéreos na Malásia e no Vietnã, em particular na ativação do protocolo de "fases de emergência", depois do desaparecimento dos radares do Boeing 777 que havia decolado em 8 de março de 2014 de Kuala Lumpur rumo a Pequim.

O relatório afirma que o controle aéreo não respeitou os procedimentos operacionais habituais, declarou o diretor-geral da Aviação Civil malaia, Azharuddin Abdul Rahman.

"Em consequência, é com pesar e depois de refletir que decido me demitir", acrescentou.

Não se encontrou nenhum rastro do avião nos 120.000 quilômetros quadrados varridos no oceano Índico. A investigação liderada pela Austrália, o maior mistério de toda história da aviação, foi suspensa em janeiro do ano passado.

Foram encontrados apenas três fragmentos confirmados do MH370, todos eles na costa do oceano Índico ocidental, e houve grande quantidade de teorias sobre o sumiço do avião: de um acidente a sequestro, passando por um ataque terrorista.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.