Turismo Funcionários da Torre Eiffel ameaçam greve por longas filas de espera Desde o início de julho, 50% dos ingressos colocados à venda a cada dia para subir a Torre Eiffel são vendidos pela internet

Por: AFP - Agence France-Presse

Publicado em: 30/07/2018 11:18 Atualizado em:

A Torre Eiffel, que recebeu mais de 6 milhões de visitantes no ano passado, é um dos lugares mais visitados de Paris. Foto: reprodução/Internet
A Torre Eiffel, que recebeu mais de 6 milhões de visitantes no ano passado, é um dos lugares mais visitados de Paris. Foto: reprodução/Internet
Funcionários da Torre Eiffel ameaçam uma greve em 1º de agosto em protesto contra a nova organização para entrar no monumento emblemático, que, segundo eles, está gerando filas de espera "monstruosas", informou um sindicato nesta segunda-feira.

Desde o início de julho, 50% dos ingressos colocados à venda a cada dia para subir a Torre Eiffel são vendidos pela internet, onde os turistas podem reservar seu horário de visita e assim evitar as longas filas de espera. Antes de julho, apenas 20% dos ingressos podiam ser reservados on-line.

Mas a administração do monumento também decidiu reservar elevadores específicos para cada tipo de ingresso, uma decisão que "cria filas que são às vezes monstruosas", indicou o sindicato CGT em um comunicado.

Durante as horas de menor atividade para os ingressos pré-agendados, como à tarde ou à noite, o elevador reservado para esses ingressos funcionam parcialmente vazios, enquanto que as pessoas com ingressos comprados nas bilheterias devem esperar até três horas para poder subir.

Já nos horários de alta demanda de bilhetes pré-agendados, os turistas muitas vezes são forçados a esperar muito além do tempo de sua visita agendada. "Além do desperdício em termos de eficiência e visitantes insatisfeitos (...) a paciência dos funcionários se esgotou", afirmou Denis Vavassori, do CGT.

Segundo ele, o problema poderia ser resolvido se os visitantes tivessem acesso a todos os elevadores, independentemente do tipo de entrada.

A Torre Eiffel, que recebeu mais de 6 milhões de visitantes no ano passado, é um dos lugares mais visitados de Paris.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.