Residente Universidade concede diploma e título de médica à pernambucana assassinada A pernambucana Raynéia Gabrielle Lima, 30 anos, foi fuzilada por supostos paramilitares na madrugada de segunda-feira, na capital da Nicarágua

Por: Correio Braziliense

Por: Rodrigo Craveiro - Especial para o EM

Publicado em: 27/07/2018 07:38 Atualizado em: 27/07/2018 08:46

A mãe da vítima afirmou que recebe a homenagem com 'imensa alegria'. Foto: Arquivo Pessoal
A mãe da vítima afirmou que recebe a homenagem com 'imensa alegria'. Foto: Arquivo Pessoal
"Eu colocarei esse diploma em um quadro. Ele será o meu bem mais precioso." Foi dessa maneira que a funcionária pública aposentada Maria José da Costa, 55 anos, reagiu ao ser informada pelo Correio que a Universidade Americana (UAM), em Manágua, expediu, na tarde desta quinta-feira, o título de doutora em medicina e cirurgia à sua filha única, Raynéia Gabrielle Lima, 30 anos. A pernambucana foi fuzilada por supostos paramilitares na madrugada de segunda-feira, na capital da Nicarágua, país imerso há 100 dias em uma repressão que deixou 448 mortos. 

Maria José afirmou que recebe a homenagem com "imensa alegria". "Faltavam poucos meses para a minha filha concluir o curso. Inclusive, ela chegou a me comunicar que, quando terminasse a residência, talvez nem recebesse o diploma, por causa da situação no país. Ela tinha medo de terminar e não receber o diploma. Quando eu recebê-lo, vou mandar botar em um quadro bonito. Se eu pudesse, eu  o colocaria em um quadro com fios de ouro. Eu o guardarei com tanta felicidade e tanta alegria", disse a mãe, chorando bastante. "Tudo o que minha filha sonhava era conseguir esse curso. Isso me deixa muito emocionada. Tenho a agradecer ao reitor da faculdade. É como se fosse um tesouro, que não vai ter preço." 

A pernambucana foi fuzilada por supostos paramilitares na madrugada de segunda-feira. Foto: Roberto Fonseca/La Prensa-Nicarágua/Divulgação
A pernambucana foi fuzilada por supostos paramilitares na madrugada de segunda-feira. Foto: Roberto Fonseca/La Prensa-Nicarágua/Divulgação

Ernesto Medina, reitor da UAM, confirmou à reportagem a informação sobre a emissão do diploma. "Houve um ato para render homenagens a Raynéia, durante a qual entregamos o documento a uma representante da Embaixada do Brasil", contou. "Para os pais dela, será um testemunho de que sua filha cumpriu com os requisitos acadêmicos e humanos para ser uma grande doutora. A homenagem foi feita pensando nela e em seus companheiros, que sempre a verão como parte de sua geração de médicos."


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.