MUNDIAL 2018 Presidente croata paga o próprio ingresso e fica no meio da torcida nos jogos da Copa Comportamento de Kolinda, primeira mulher a ser chefe de Estado no país, tem sido destaque nas redes sociais

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 11/07/2018 17:09 Atualizado em: 11/07/2018 17:52

Foto: Dimitar Dilkoff/AFP (Foto: Dimitar Dilkoff/AFP)
Foto: Dimitar Dilkoff/AFP

Gente como a gente. De um jeito despojado e singular, a presidente croata Kolinda Grabar-Kitarovic tem chamado a atenção de quem está acompanhando a Copa da Rússia. A chefe de Estado, de 50 anos, tirou dias de folga - devidamente descontados do seu salário - para acompanhar os jogos da da Croácia. O melhor: fez questão de viajar para a Rússia em voo comercial, como uma torcedora comum.


O comportamento de Kolinda tem sido destaque nas partidas do Mundial. Vídeos na internet mostram ela vestida dos pés a cabeça de vermelho e branco, no meio da torcida. Além de sempre  endossar alegremente o coro patriótico do País. 



Boa relação

A presidente croata, Kolinda Grabar-Kitarovic, presenteou nesta quarta-feira (11) o americano Donald Trump e a premiê britânica Theresa May, com quem se encontrou na cúpula da Otan em Bruxelas, com camisas da Seleção do país balcânico.
 
A própria presidente postou em sua conta no Twitter fotos com Trump e May, e suas respectivas camisas xadrez vermelhas e brancas, com o nome dos dois líderes políticos nas costas.

Trump recebeu uma com o número 9, que na Copa do Mundo corresponde a Andrej Kramaric e que no Mundial de 1998, onde a Croácia terminou em terceiro, foi vestida por Davor Suker, o artilheiro daquela edição.



A camisa de May foi a número 10, que na equipe atual é vestida por Luka Modric. Grabar-Kitarovic é uma grande fã de futebol e assistiu no estádio os confrontos de seu país contra a Dinamarca (oitavas) e Rússia (quartas), ambas decididas em disputa de pênaltis.

Feito inédito na Copa

A Croácia fez história na Copa do Mundo da Rússia. Depois de sair atrás do marcador em golaço de falta de Trippier, a equipe comandada por Zlatko Dalic empatou com Perisic e levou o jogo contra a Inglaterra para a prorrogação. Na segunda etapa do tempo extra, Mario Mandzukic virou, garantiu o 2 a 1 e colocou o país pela primeira vez em uma final de Mundial. A decisão será contra a França, neste domingo, às 12h (de Brasília), no estádio Luzhniki, em Moscou.





Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.