Tragédia Sobe para 332 número de desaparecidos por erupção de vulcão na Guatemala Organizações de voluntários que ajudam as famílias a buscarem os desaparecidos rejeitaram a contagem oficial e denunciaram que há milhares de vítimas soterradas

Por: Correio Braziliense

Publicado em: 04/07/2018 20:44 Atualizado em:

 (Foto: AFP/Arquivos)
O número de desaparecidos devido a erupção do Vulcão de Fogo, na qual morreram 113 pessoas no sul da Guatemala, subiu de 197 para 332 após um "cruzamento" de informações, informou nesta quarta-feira (4) a defesa civil, enquanto voluntários civis denunciam que são cerca de 3.000.

A atualização oficial foi feita "após revisar 176.144 registros de diferentes entidades e verificar as listas de pessoas que estão nos abrigos", informou a jornalistas David de León, porta-voz da Coordenadoria Nacional para a Redução de Desastres (Conred). 

O funcionário explicou que o novo número de 332 desaparecidos na tragédia foi estabelecida com um "cruzamento de informações" recebidas por 11 meios, entre eles o site da instituição, a Cruz Vermelha Guatemalteca, a Procuradoria-Geral da Nação, a prefeitura de Escuintla e o Instituto Nacional de Estatísticas.

O Vulcão de Fogo, de 3.763 metros de altura e situado 35 km ao sudoeste da capital, registrou em 3 de junho uma potente erupção seguida de um deslizamento de material vulcânico quente que soterrou a comunidade San Miguel Los Lotes, na cidade de Escuintla. 

Devido à erupção, 3.643 pessoas de San Miguel Los Lotes e outras aldeias vizinhas estão em abrigos.

De León apontou que das 332 pessoas reportadas desaparecidas, 205 são de San Miguel Los Lotes, 102 da vizinha aldeia El Rodeo e o restante de comunidades próximas. 

Organizações de voluntários que ajudam as famílias a buscarem os desaparecidos rejeitaram os índices oficiais e denunciaram que há milhares de vítimas soterradas.

Sofía Letona, do grupo Antigua al Rescate, assegurou a jornalistas que, com base em entrevistas com afetados e outras avaliações, o número de desaparecidos chega a 2.900.  

A "cifra oficial" de mortos pela tragédia continua em 113, das que 85 foram identificados e três morreram em hospitais no exterior. A autoridade forense trabalha na identificação de outras 25, enquanto verifica 78 casos de restos encontrados na chamada "zona zero".


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.