Ataque Atirador do jornal nos EUA queria fazer massacre Segundo autoridades, o objetivo era "matar o maior número de pessoas possível"

Por: Correio Braziliense

Publicado em: 29/06/2018 22:03 Atualizado em:

Manchete do jornal no dia seguinte à tragédia (Foto: Mandel Ngan / AFP)
Manchete do jornal no dia seguinte à tragédia
O homem que invadiu com uma escopeta o jornal The Capital Gazette, na última quinta-feira (28), na cidade americana de Annapolis, queria fazer um massacre, aparentemente motivado por desejos de vingança, disseram autoridades nesta sexta-feira. O ataque, que o presidente Donald Trump considerou "horrível", deixou cinco mortos, incluindo quatro jornalistas.

O suposto autor do massacre, identificado como Jarrod Ramos, de 38 anos, residente de Laurel, Maryland, um subúrbio de Washington DC, foi indiciado formalmente nesta sexta-feira (29), por cinco acusações de homicídio doloso, em uma audiência na qual o juiz ordenou que ele ficasse detido sem direito a liberdade sob fiança.

"Alega-se que Ramos executou uma brutal série de ataques contra vítimas inocentes", disse a jornalistas o promotor do condado, Wes Adams, após apontar uma "evidência" que sugere um planejamento de seus atos, como "a barricada para bloquear uma porta de saída e o uso de um posicionamento tático para perseguir e disparar".

Ele pretendia "matar o maior número de pessoas possível" e para isso usou uma escopeta comprada legalmente "há um ano ou mais", disse o chefe de polícia do condado de Anne Arundel, Timothy Altomare.

A polícia confirmou que Ramos estava há anos ressentido com o Capital Gazette pela publicação de uma coluna sobre seu suposto assédio a uma mulher. Por causa desse conteúdo, Ramos processou o jornal em 2011 por difamação, mas perdeu o caso na primeira instância e depois na apelação.

Ramos foi identificado graças a técnicas de reconhecimento facial, usando a base de dados de Maryland, pois ele já havia entrado no radar da polícia, que investigou, em 2013, ameaças na internet contra o Capital Gazette, disse Altomare.

Na época o jornal preferiu não apresentar queixa por "medo" de piorar a situação, acrescentou.

O ataque é o mais recente episódio da epidemia de violência armada vivida nos Estados Unidos, após os ataques a tiros em escolas, em fevereiro na Flórida e em maio no Texas.
 
No Twitter, o repórter do jornal Phil Davis fez um relato arrepiante de como o "atirador disparou através de uma porta de vidro na redação contra vários funcionários". 

O editor Rob Hiaasen, conhecido por ser o mentor de vários jornalistas, está entre as vítimas, segundo o jornal The Baltimore Sun, proprietário do Capital Gazette.

Um estudo recente mostrou que os americanos têm 40% das armas disponíveis no mundo, apesar de representarem apenas 4% da população mundial.

Das 857 milhões de armas que os civis possuem, 393 milhões estão nos Estados Unidos - mais do que aquelas nas mãos de todos os cidadãos comuns em outros 25 países somados, de acordo com a Small Arms Survey. 

Não temos palavras
 
"Não temos palavras", é o breve e único texto que se lê em uma página praticamente em branco no editorial do jornal "The Capital", a edição impressa do periódico digital "Capital Gazette".

A edição busca homenagear as vítimas, mas garante que "amanhã esta página voltará a cumprir seu firme propósito de oferecer aos nossos leitores opiniões sobre o mundo, para que possam ser melhores cidadãos". O até então responsável pela parte editorial, Gerald Fischman, está entre os mortos.

O título da primeira página sobre o tiroteio ocorrido na capital do estado de Maryland, Annapolis, cobria os aspectos básicos do fato, sem incluir um único adjetivo.

"Cinco mortos por disparos no The Capital", diz a manchete na capa, sob as fotos dos cinco mortos - quatro jornalistas e um assistente de vendas. Duas pessoas ficaram feridas.

Membros da equipe do jornal que sobreviveram ao tiroteio - executado pelo homem que, segundo se descreveu, tinha uma longa batalha contra o jornal - trabalharam fora da sede após o dramático episódio. Nesta edição, além da cobertura geral sobre sua própria tragédia, estão os perfis dos cinco mortos.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.