Ataque Atirador que matou 5 em jornal dos EUA teria perdido processo contra colunista A polícia confirmou que havia apenas um atirador, que foi preso

Por: Agência Estado

Publicado em: 29/06/2018 16:02 Atualizado em: 29/06/2018 16:04

Foto: Saul Loeb / AFP
Foto: Saul Loeb / AFP

Um atirador matou cinco pessoas e feriu gravemente várias outras ao atacar nessa quinta-feira (28), a redação do jornal "Capital Gazette" em Annapolis, capital do Estado americano de Maryland, a 51 quilômetros de Washington. A polícia confirmou que havia apenas um atirador, que foi preso. A motivação não havia sido determinada, em um dos piores ataques a jornalistas da história dos EUA. O jornal havia recebido ameaças.

As autoridades tratavam o caso como um incidente local sem suspeitas de terrorismo. Informaram ainda que o suspeito era um "homem branco" e, para descobrir sua identidade, precisaram recorrer ao reconhecimento facial, já que o atirador havia danificado suas impressões digitais.

Citando fontes policiais, o "Capital Gazette" e o "Baltimore Sun" disseram que o atirador foi identificado como Jarrod Ramos, de 38 anos, morador da cidade de Laurel. Em 2012, Ramos perdeu um processo por difamação contra Eric Hartley, ex-colunista do jornal e Thomas Marquardt, então editor-chefe.

O administrador do Condado de Anne Arundel, onde fica Annapolis, Steve Schuh, explicou que a polícia encontrou o atirador escondido sob uma mesa no prédio. Sua arma não estava próxima dele. Os policiais também acharam no prédio um pacote com um líquido inflamável e toda a ação, segundo Schuh, parecia ser de um "amador". 

Um repórter do "Capital Gazette", Phil Davis, relatou o que aconteceu no Twitter. Segundo ele, um homem entrou atirando e atingiu vários funcionários. "Não há nada mais aterrorizante do que ouvir várias pessoas sendo baleadas enquanto você se esconde sob sua mesa e escuta o atirador recarregar a arma."

Cerca de 170 pessoas foram tiradas do prédio e imagens de TV mostravam algumas delas saindo com as mãos para o alto.

Em uma entrevista para a versão online do "Capital Gazette", Davis explicou que o atirador disparou primeiro contra uma porta de vidro e depois invadiu a redação. Segundo ele, a cena se parecia com uma "zona de guerra" dentro da redação e uma situação "difícil de descrever". 

"Eu sou repórter de Polícia. Escrevo sobre essas coisas. Não necessariamente com essa extensão, mas sobre tiros e mortes, o tempo todo", disse. "Por mais que eu tente articular quão traumatizante é ficar escondido sob sua mesa, você não vai saber até estar lá e se sentir totalmente desamparado." Davis disse que ele e os colegas continuaram escondidos mesmo depois que o homem parou de atirar. "Não sei por quê. Não sei porque ele parou", disse.

O "Capital" é um dos jornais mais antigos dos EUA - começou a circular em 1884 - e pertence ao Baltimore Sun Media Group. Tem uma tiragem de cerca de 67 mil exemplares durante a semana e 83 mil nos finais de semana. 

O editor do "Capital Gazette", Jimmy DeButts, afirmou pelo Twitter que estava "devastado e com o coração partido". Segundo ele, o jornal apenas faz o "trabalho que tem de fazer". "Não existe semana de 40 horas ou grandes pagamentos, apenas uma paixão por contar histórias da nossa comunidade." 

Trump usou o Twitter para manifestar que seus "pensamentos e orações" estavam comas "vítimas e suas famílias". As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.


TAGS: ataque

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.