mensagens falsas Boatos no Whatsapp deflagram onda de agressões na Índia Nos últimos anos, houve incidentes similares na Índia, quando boatos divulgados pelo WhatsApp terminaram causando linchamentos

Por: AFP - Agence France-Presse

Publicado em: 27/06/2018 09:15 Atualizado em:

Segundo as mensagens, 300 traficantes teriam chegado a Gujarat para sequestrar crianças e depois vendê-las. Foto: ARUN SANKAR / AFP
Segundo as mensagens, 300 traficantes teriam chegado a Gujarat para sequestrar crianças e depois vendê-las. Foto: ARUN SANKAR / AFP

A Polícia indiana pediu nesta quarta-feira (27) à população que ignore os boatos falsos que circulam no Whatsapp sobre traficantes de crianças e que levaram a um morto e vários feridos.

Segundo as mensagens, 300 traficantes teriam chegado a Gujarat para sequestrar crianças e depois vendê-las, uma informação que deflagrou cinco agressões, ontem, em várias cidades desse estado do oeste da Índia.

"Não se deixem levar pelas mensagens falsas, ou pelos boatos nas redes sociais e não ataquem ninguém com base em suspeitas", pediu a Polícia estadual em um comunicado.

Nos últimos anos, houve incidentes similares na Índia, quando boatos divulgados pelo WhatsApp terminaram causando linchamentos.

Na terça, na cidade de Ahemdabad, cerca de 100 pessoas atacaram uma mendiga de 45 anos, identificada como Shantadevi Nath, e outras três mulheres, acusando-as de serem membros dos grupos de traficantes descritos nas mensagens.

"A multidão começou a dar chutes e socos nas quatro mulheres (...) provocando ferimentos graves em Shantadevi e de menor gravidade nas outras três", disse à AFP o chefe da Polícia local, JA Rathwa. Shantadevi Nath faleceu pouco depois no hospital.

Em Rajkot, outra cidade do estado, seis pessoas ficaram feridas e, em Surat, foram registradas outras duas agressões.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.