propostas Ministro do Interior da Itália promete ajuda à Líbia para conter imigrantes Salvini também prometeu ajudar as autoridades líbias a assumir o controle do território da Líbia

Por: Agência Estado

Publicado em: 25/06/2018 16:31 Atualizado em:

O ministro do Interior da Itália, Matteo Salvini, prometeu nesta segunda-feira fazer todo o possível para ajudar a Líbia a conter o fluxo de imigrantes e se desenvolver comercialmente, dizendo que a Itália quer que a Europa veja sua ex-colônia como "grande oportunidade" e não um problema.

Matteo Salvini fez sua primeira visita oficial no exterior a Trípoli, capital da Líbia, para martelar o seu compromisso de acabar com os fluxos imigratórios que alimentou o sentimento anti-imigrante em toda a Europa.

Falando em uma coletiva de imprensa ao lado do vice-primeiro ministro do governo líbio, Ahmed Maiteeg, que é apoiado pela Organização das Nações Unidas (ONU), Salvini insistiu que novas propostas da União Europeia para criação de centros de identificação de asilo para candidatos a refugiados devem estar localizados nas fronteiras do sul da Líbia - não na Europa, como a França inicialmente propôs.

Salvini também prometeu ajudar as autoridades líbias a assumir o controle do território da Líbia, incluindo as suas águas territoriais, para impedir a saída dos imigrantes.

A Líbia mergulhou no caos após a revolta de 2011 que derrubou e matou o ditador de longa data Muamar Kadafi e agora está dividido entre governos rivais - um deles, apoiado pela ONU, com sede em Trípoli, e o outro no leste do país - cada um apoiado por uma série de milícias. 

Maiteeg anunciou que a guarda costeira da Líbia resgatou cerca de 1.000 imigrantes no domingo, incluindo dezenas de mulheres e crianças em vários países diferentes. Salvini elogiou os líbios pelo resgate. A Itália está comprometida, disse ele, "bloqueando a invasão total das associações que gostariam de substituir o governo e as autoridades e, de fato, ajudar os imigrantes ilegais". Fonte: Associated Press



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.