EI Alemanha anuncia que evitou ataque biológico Bomba de Ricina, veneno poderoso, foi desarmada e um homem tunisiano com suspeita de envolvimento com o Estado Islâmico foi preso

Por: Agência Estado

Publicado em: 20/06/2018 10:00 Atualizado em:

O comandante da polícia judicial da Alemanha informou nesta quarta-feira que o país impediu um atentado com bomba biológica, de ricina, um veneno muito poderoso, após a detenção na semana passada de um tunisiano na cidade de Colonia.

"Aconteceram neste caso preparativos concretos para executar este ato, com uma espécie de bomba biológica. É algo sem precedentes na Alemanha", declarou Holger Münch à rádio pública alemã.

Ele disse ainda que o suspeito havia começado a produzir ricina e que  as investigações apontam para vínculos com o grupo Estado Islâmico (EI). 

"Os registros mostram que o suspeito já havia produzido ricina", acrescentou, mencionando o veneno vegetal mais violento conhecido até agora.

Ele é 6.000 vezes mais potente que o cianureto, uma substância mortal em caso de ingestão, inalação ou injeção e para o qual  não existe antídoto.

É a primeira vez que as autoridade afirmam claramente que se estava preparando um atentado com bomba de ricina.

Na semana passada, quando o tunisiano foi detido pelas forças de elite alemãs, a justiça falou de suspeitas, mas não deu detalhes.

"Achamos um grande número de grãos de ricina, que permite produzir o veneno", disse Münch. "E também utensílios necessários para a fabricação de um explosivo". 

Segundo a Procuradoria Antiterrorista, cerca de mil grãos foram apreendidos no total .

Ainda não se sabe qual seria o objetivo do atentado, assim como a existência de eventuais cúmplices do suspeito.

O homem de 29 anos, apresentado como Seif Allah H., foi localizado há alguns meses pelas autoridades e era alvo de vigilância.

O chefe da polícia nacional indicou que a prisão foi possível graças à colaboração do serviços de segurança nacionais e internacionais". 

Segundo a imprensa alemã, foi a CIA dos Estados Unidos a primeira a alertar a polícia alemã depois de ter detectado na internet compras por parte do suspeito de substâncias que podem servir para fabricar uma bomba desse tipo.

Em maio, as autoridades francesas anunciaram ter desbaratado um atentado com explosivos ou com ricina previsto em Paris. Um egípcio de 20 anos foi detido e preso.

A Alemanha sofreu vários atentados nos últimos anos. O mais grave deles aconteceu em dezembro de 2016 e foi cometido por um tunisiano de 23 anos, Anis Amri, que avançou com um caminhão em um mercado natalino em Berlim, uma ação que deixou 12 mortos e foi reivindicada pelo EI.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.