FERIMENTO Fotógrafo da AFP é ferido por tiro na Faixa de Gaza Caso aconteceu pouco mais de um mês após diretor de fotografia da agência no Afeganistão morrer em um atentado na cidade de Cabul

Por: AFP - Agence France-Presse

Publicado em: 08/06/2018 13:57 Atualizado em:

Foto: Mohammed Baba / Facebook
Foto: Mohammed Baba / Facebook
Um fotógrafo palestino da Agence France-Presse foi baleado na perna nesta sexta-feira depois que o Exército israelense abriu fogo contra manifestantes durante confrontos na Faixa de Gaza, indicaram o jornalista e o ministério da Saúde local.

Três palestinos também morreram na Faixa de Gaza por disparos israelenses, de acordo com o ministério da Saúde do território.

Mohammed Abed al-Baba, que trabalha para a AFP desde 2000, foi atingido abaixo do joelho quando estava a cerca de 200 metros da fronteira, a leste de Jabalyia (norte), usando um colete com a inscrição "Press" e um capacete para sua proteção, testemunhou o fotógrafo.

O porta-voz do ministério da Saúde em Gaza, Ashraf al-Qodra, assegurou que ele foi ferido por um tiro israelense. O fotógrafo foi hospitalizado em Jabaliya. Ele não corre risco de morte. Procurado, o Exército israelense ainda não respondeu à AFP sobre os fatos.

Manifestantes palestinos entraram em confronto com soldados israelenses ao longo da fronteira entre Gaza e Israel. Mohammed Abed al-Baba foi baleado por um tiro que partiu das linhas israelenses quando se aproximou de um homem ferido para fotografá-lo.

A Faixa de Gaza, sob o bloqueio israelense e egípcio, é palco desde 30 de março de um movimento de contestação acompanhado de confrontos ao longo da fronteira. Pelo menos três palestinos foram mortos por tiros israelenses nesta sexta-feira, segundo o ministério da Saúde de Gaza.

A mobilização de Gaza defende o direito de retorno dos palestinos às terras de onde fugiram ou foram expulsos na criação de Israel em 1948. Também denuncia o bloqueio de Gaza. 

Israel afirma que essa mobilização serve como cobertura para o movimento islâmico Hamas, que governa o enclave, em sua tentativa de se infiltrar e atacar soldados ou civis.

Pelo menos 128 palestinos foram mortos por tiros israelenses desde 30 de março. Nenhum israelense foi morto. Mohammed Abed cobriu as três guerras entre Israel e o Hamas desde 2008.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.