Homem-aranha Imigrante que salvou criança em prédio de Paris recebe nacionalidade francesa O jovem chegou à Europa depois de atravessar o Mediterrâneo e afirma que tem documentos para ficar legalmente na Itália

Por: Agência Estado

Publicado em: 28/05/2018 21:58 Atualizado em:

O presidente Emmanuel Macron concedeu nesta segunda-feira (28), nacionalidade francesa e um emprego como bombeiro ao homem que escalou um prédio para salvar um garoto pendurado em uma sacada, em Paris, no sábado. O imigrante malinês Mamoudou Gassama, de 22 anos, se encontrou com Macron no Palácio do Eliseu e recebeu uma medalha de ouro do Estado francês por sua "coragem e devoção".

O feito de Gassama viralizou nas mídias sociais e ele ficou conhecido como "homem-aranha" por ter escalado cinco andares de um prédio no 18º distrito norte de Paris para salvar um garoto de quatro anos em pouco mais de 30 segundos.

O jovem chegou à Europa depois de atravessar o Mediterrâneo e afirma que tem documentos para ficar legalmente na Itália. Ele estava na Líbia e foi para a França em setembro, para se juntar ao irmão mais velho, que vive no país há décadas. Gassama contou a Macron que chegou à Itália em 2014, depois de passar um ano na Líbia, onde foi preso e espancado.

Durante o encontro com Macron, Gassama relembrou seu ato heroico. "Eu corri. Atravessei a rua para salvá-lo. Quando eu comecei a subir, tive coragem para continuar subindo. Deus me ajudou também", disse. Ele revelou que começou a tremer de medo apenas quando colocou a criança dentro do apartamento.

Em agradecimento, o presidente francês concedeu a cidadania francesa ao malinês. "Por este ser um ato excepcional, nós vamos obviamente, regularizar todos os seus documentos." Macron também ofereceu que Gassama seja naturalizado e se torne um cidadão francês.

Macron é apoiador de uma proposta que endurece a lei de imigração na França, mas ressaltou que não há contradição entre recompensar Gassama pelo ato de bravura e apoiar o endurecimento da lei. "Um ato excepcional não faz política", disse o presidente a jornalistas, prometendo manter uma "política "exigente" sobre conceder asilo e "rigorosa" em relação ao fluxo migratório.

O agradecimento a Gassama acontece enquanto autoridades francesas se preparam para retirar cerca de 2,4 mil imigrantes em acampamentos improvisados em Paris. A questão é tema de debate acalorado entre a prefeitura da cidade, que busca garantir que os desabrigados receberão proteção e abrigo, e o ministro do Interior, Gerar Collomb, que estava na cerimônia desta segunda.

O pai da criança resgatada foi detido por suposta negligência e deve comparecer em tribunal em setembro. O promotor François Molin disse à BFM TV que o homem deixou a criança sozinha enquanto fazia compras e jogava no celular. O paradeiro da mãe do garoto ainda é desconhecido.

O presidente francês disse que as ações de Gassama o fizeram merecedor de tratamento especial. "Você salvou uma criança. Sem você, ninguém sabe o que teria acontecido", afirmou Macron. "É preciso coragem e capacidade para fazer aquilo.".



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.