Venda Gap pede desculpas por camisa com o mapa da China sem Taiwan Após críticas na imprensa chinesa, marca decidiu retirar camisas do mercado local e se reportou publicamente

Por: AFP - Agence France-Presse

Publicado em: 15/05/2018 09:19 Atualizado em:

Foto: GAP / Reprodução
Foto: GAP / Reprodução
A rede americana Gap pediu desculpas por ter vendido uma camisa com o desenho de um mapa da China, mas sem a presença de Taiwan, o que provocou muitas críticas da imprensa estatal chinesa. 

A China continental e Taiwan são governados por regimes rivais desde o fim da guerra civil chinesa em 1949. A ilha é administrada de maneira autônoma, mas nunca declarou independência. Pequim considera Taiwan parte integrante da China.

Na camisa criticada aparece um pequeno mapa vermelho sem a presença de Taiwan, de acordo com uma foto publicada na conta oficial no Twitter do Diário do Povo, o jornal do Partido Comunista Chinês (PCC).

O jornal estatal Global Times afirma que o mapa também omite o mar da China Meridional (reivindicado em sua quase totalidade por Pequim) e uma parte do Tibete. Centenas de internautas reclamaram na conta oficial da Gap na rede social chinesa Weibo.

A empresa divulgou um comunicado no qual afirma "respeitar a soberania e a integridade territorial da China".

"Lamentamos muito este erro não intencional. Nós estamos fazendo verificações internas para corrigir o erro o mais rápido possível", afirmou a Gap. 

"Nós retiramos o produto do mercado chinês e destruímos todos os exemplares". O Global Times, que cita a Gap, informou que as camisas não estão mais à venda na China.

Pequim denunciou com veemência nos últimos meses as companhias aéreas, grupos hoteleiros e outras empresas estrangeiras que apresentaram Taiwan como um país diferente em sites. Entre os grupos criticados estão a rede americana de hotéis Marriott e a gigante espanhola das roupas Zara.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.